Os regulamentos estão em vigor para todos os motoristas de caminhão comercial para garantir que eles não estejam sobrecarregados. 

Um caminhoneiro cansado ou esgotado é um perigo para si mesmo e para todos na estrada. As principais restrições aos motoristas são os horários em que podem dirigir e os intervalos obrigatórios. 

Períodos de trabalho

O DOT divide o tempo de trabalho do motorista em períodos de trabalho e serviço. Um período de trabalho é como uma semana de trabalho, enquanto um período de serviço é como um dia de trabalho. 

Como os motoristas nem sempre trabalham em horas convencionais, os regulamentos do DOT são baseados nas horas reais trabalhadas e não em horas específicas durante o dia. 

Assim, por exemplo, uma semana de trabalho pode começar às 17h de uma terça-feira ou às 3h de um sábado e pode ser diferente para cada caminhoneiro.

O período de trabalho dos caminhoneiros é de sete dias. Os motoristas podem trabalhar sete dias consecutivos, mas devem ter um intervalo de pelo menos 34 horas consecutivas antes de iniciar um novo período de trabalho de sete dias. 

Se um motorista começa o período de trabalho às 6h00 de domingo, ele termina às 6h00 do próximo domingo.

Para iniciar um novo período de trabalho, o caminhoneiro deve ter dez horas de folga. 

O número total de horas que podem ser trabalhadas em um período de trabalho é 60.

Cada período de serviço dura 14 horas, o que é conhecido como regra das 14 horas. 

Os motoristas podem dirigir por até 11 horas durante o período de serviço. Porém, depois de dirigir por oito horas, o motorista deve fazer uma pausa de pelo menos 30 minutos. 

As quebras de qualquer tipo contam contra o período de serviço de 14 horas. Aqui está um exemplo de programação diária que segue esta regra:

Assim, o motorista pode dirigir por 11 das 14 horas e fazer outras coisas pelas 3 horas restantes, como abastecer ou descarregar. No limite de 14 horas, porém, o motorista não pode mais dirigir e deve tirar 10 horas de folga antes de iniciar um novo período de serviço.

Exceções

Como acontece com a maioria das coisas, existem exceções às regras básicas. Se um motorista está começando e terminando no mesmo local para uma atribuição de um dia, o motorista pode trabalhar 16 horas. 

O tempo de condução real, no entanto, ainda é limitado a 11 horas. Se houver um lay-over, essa exceção não pode ser usada. Isso só pode ser usado uma vez por período e requer um intervalo de 34 horas antes de poder ser usado novamente.

O mau tempo pode reduzir a velocidade de um caminhão, então isso também pode causar uma exceção a ser permitida. Se as condições da estrada forem ruins, o motorista pode levar até duas horas extras de direção durante seu período de serviço. 

O limite do período de serviço é de 14 horas, no entanto, ainda está de pé. Esta exceção só pode ser aplicada quando as horas extras de condução são necessárias para chegar a um local seguro para parar e sair da estrada.

Penalidades

Se o motorista não cumprir as regras do DOT sobre pausas e horários de trabalho, haverá penalidades que serão avaliadas. Esses incluem:

Revogação dos privilégios de direção até que uma pausa para descanso seja concluída

Multas nas esferas estadual e federal

Redução na classificação de segurança da transportadora

Uma transportadora pode enfrentar penalidades ainda mais severas

em nível federal, especialmente se for descoberto que fez os

motoristas intencionalmente violarem a lei.

Possíveis Mudanças

Pode ser difícil para os motoristas cumprir os requisitos de hora e intervalo, especialmente quando estão sob pressão para levar as cargas a seus destinos a tempo. 

Muitos acham a regra das 14 horas especialmente difícil quando os intervalos são incluídos contra ela.

Por conta disso, alguns legisladores acham que há necessidade de mudanças no horário de atendimento. Um projeto de lei, denominado Lei REST, está sendo proposto para alterar a decisão sobre os intervalos contra o limite de 14 horas. 

A lei visa dar aos motoristas um período de descanso de três horas consecutivas, que não contam para suas 14 horas. A lei também pretende usar esse novo intervalo de três horas para eliminar a exigência de intervalo de 30 minutos.

Independentemente de ocorrerem mudanças ou não, o DOT é rigoroso quanto às horas que um caminhoneiro pode dirigir. Isso ajuda a evitar que eles dirijam quando estão cansados ou incapazes de prestar a devida atenção à estrada, mantendo assim todos na estrada mais seguros.

Redação – Brasil do Trecho

Esta postagem foi publicada em 6 de agosto de 2021 08:20

Compartilhar
João Neto

Sou apaixonado pelo empreendedorismo, caminhão e ônibus e Hoje me dedico 100% aos amigos caminhoneiros com noticias e dicas da estrada.

Deixe um comentário

Postagens recentes

Caminhoneiros autônomos realizam debate buscando sobrevivência da categoria

Sem politicagem é o que promete os líderes do movimento Caminhoneiros autônomos são convocados por…

10 horas atrás

Caminhoneiro comprou um caminhão alienado e não consegue fazer o registro na ANTT

O sonho do primeiro caminhão acabou virando em uma dor de cabeça Um caminhoneiro com…

10 horas atrás

Fabricante de caminhão chinesa pode lançar veículo elétrico no Brasil

Caminhões eletrificados estão crescendo bastante na Europa e Ásia Veículos elétricos vem ganhando bastante força…

10 horas atrás

Governador do Rio Grande do Sul reduz alíquota do ICMS dos combustíveis

Na última sexta-feira (17) Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul anunciou a redução…

24 horas atrás

Mudanças da política de preços da Petrobras são cobradas em plenário

No último dia 14 vários deputados cobraram em petição mudanças na política de preços dos…

24 horas atrás

Comissão irá debater mudanças no comércio varejista de combustíveis

Na próxima terça-feira (21) será debatido pela comissão de Minas e energia da Câmara dos…

1 dia atrás