Categorias: CaminhãoCaminhoneiro

Caminhoneiro é absolvido na justiça ao provar que não sabia que transportava maconha

Sentença afasta teoria da cegueira deliberada “pois não é razoável exigir de um caminhoneiro que cheque todos os compartimentos do veículo”.

Caminhoneiro preso em flagrante transportando mais de 500 tijolos de maconha é absolvido da acusação de tráfico de drogas. A juíza de Direito Isadora Botti Beraldo Montezano, de Osvaldo Cruz/SP, considerou ausência de provas para a condenação.

O réu afirmou que não fez o acompanhamento da carga e que quando estava na rodovia foi abordado, agindo como abordagem de rotina, mostrando os documentos solicitado; e que foi surpreendido quando os policiais encontraram a droga no cofre do veículo.

Para a magistrada, inexistem provas suficientes de que o réu tivesse ciência do conteúdo ilícito que transportava. Embora reconheça que caminhoneiros vêm sendo utilizados por organizações criminosas para o transporte de drogas e armas, a juíza afirmou que, no caso dos autos, é perfeitamente possível que o réu não tivesse ciência da substância entorpecente que transportava.

“Ademais, não se pode sequer reconhecer o dolo eventual, mediante a aplicação da teoria da cegueira deliberada, pois não é razoável exigir de um caminhoneiro que cheque todos os compartimentos do veículo que irá conduzir para se assegurar de que não há nenhuma carga ilícita escondida nele, sobretudo quando sequer há sombra de ilicitude (cheiro, volume, desorganização de carga).”

A julgadora destaca ainda na sentença que os próprios policiais pontuaram que o acusado não era o investigado, não possui alcunha, não aparentou nervosismo na abordagem, não aparentou ser do crime organizado e aparenta ser boa pessoa.

PUBLICIDADE

“O próprio depoimento dos policiais não comprova nos autos o dolo direto ou eventual do réu. Como se não bastasse, os apontamentos efetuados pela defesa, de contradição e ausência de aprofundamento das investigações, merecem ser acolhidos pelo juízo.”

Dessa forma, revogou a prisão preventiva do acusado e o absolveu das acusações do MP.

A defesa do réu foi patrocinada pelo advogado Juan Carlo de Siqueira, de São José do Rio Preto/SP.

Processo: 1500659-66.2020.8.26.0637

Fonte: UOL

Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Postagens recentes

PRF flagra nota de 35 mil litros de cachaça em nome de transportadora desativada

O caminhão foi abordado em uma fiscalização de rotina Um caminhão com uma carga de…

20 horas atrás

CNTRC envia proposta de redução de 45% na gasolina e 27% no diesel

O documento foi enviado para o Bolsonaro e Petrobrás O Conselho Nacional do Transporte Rodoviário…

20 horas atrás

Caminhoneiros brasileiros podem entrar na Argentina

A categoria vem alegando falta de segurança no trabalho A cidade argentina de Paso de…

20 horas atrás

Renault utiliza de jogos para lançar seus novos caminhões

O seu mais novo caminhão foi apresentado através do Euro Truck Simulator 2 A Renault…

20 horas atrás

Volvo acredita que é o momento certo para aumento de caminhões elétricos

Com o início das vendas neste ano de três novos modelos totalmente elétricos Essa perspectiva…

20 horas atrás

Polícia Flagra transporte de caminhão roubado na BR-352

O condutor tentou enganar os polícias portando um documento falso A Polícia Militar Rodoviária prendeu…

20 horas atrás

Este site usa cookies.

consulte Mais informação