Publicidade

Tarcísio Freitas libera mais 9 quilômetros de pista duplicada na BR-381

Publicidade

São cerca de 42 quilômetros abertos ao tráfego este ano, incluindo também o Lote 3.1

OMinistério da Infraestrutura e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) abrem ao tráfego, neste sábado (7), mais nove quilômetros de pista duplicada na BR-381, em Minas Gerais. Com esse novo segmento, somente este ano foram liberados aos usuários um total de 42 quilômetros de pista duplicada na rodovia.

O trecho aberto ao tráfego faz parte do lote de obras nº 7, que já está com seus 37 quilômetros de extensão totalmente duplicados, incluindo 11 obras de arte especiais (OAE) concluídas, sendo seis pontes, dois viadutos e três passarelas para travessia de pedestres. Além do lote 7, o DNIT já concluiu os lotes 3.2 e 3.3. No lote 3.1, em execução, dos 28,7 quilômetros de extensão, já foram concluídos quase 13 quilômetros de pista duplicada, incluindo os túneis Antônio Dias e Prainha.

O DNIT é responsável por quatro de um total de 11 lotes das obras de duplicação e melhoramentos na BR-381/MG no segmento de 303 quilômetros localizado entre Belo Horizonte e Governador Valadares, na região leste de Minas Gerais. Os demais lotes também passarão por obras de duplicação, mas o processo será realizado através do programa de concessão desenvolvido pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura.

As obras de duplicação e modernização da BR-381/MG aumentam a segurança dos usuários da rodovia e contribuem para o desenvolvimento econômico da região. Ao longo do segmento que será duplicado, localizam-se importantes cidades como Governador Valadares, Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo e João Monlevade, além de um grande polo siderúrgico. A duplicação também facilitará o acesso ao complexo portuário de Tubarão (ES) e o fluxo de importação/exportação.

Fonte: Coordenação-Geral de Comunicação Social – DNIT

Publicidade
Categorias ESTRADASgoverno
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação