Publicidade

IVECO S-Way movido a GNL foi escolhido como o caminhão sustentável

Publicidade

Se você tem certeza de coçar a cabeça agora ao ouvir o prêmio, não é por acaso. O reconhecimento especial já foi apresentado 5 vezes até ao momento nas categorias “caminhão”, “distribuição” e “carrinha”. No entanto, o prêmio não deve ser confundido com a placa “International Truck of the Year”, que existe desde 1977.

O prêmio Caminhão Sustentável do Ano foi assim embolsado pela novidade da IVECO, o S-Way movido a GNL, que é movido por um motor a gás Cursor de 12,8 litros e 460 cavalos de potência acoplado a uma transmissão automática Hi-Tronix de 12 velocidades.

O veículo pode percorrer 1.600 quilômetros com uma única cobrança, o que é um valor excepcional para o transporte de carga de longa distância. Tudo isso devido ao uso econômico do combustível, pois, de acordo com o júri do prêmio, o S-Way consumiu apenas 1 quilo de GNL por 4,12 quilômetros. A nova cabine, que tem um coeficiente de arrasto (cw) 12 por cento melhor em comparação com a versão anterior, a Stralis, certamente terá um papel nisso.

O júri também destacou a operação ecologicamente correta do IVECO S-Way NP 460, uma vez que emite 95% menos partículas (PM) e 90% menos dióxido de carbono usando gás natural liquefeito (GNL). Além disso, as emissões de óxido de nitrogênio (NOx) são pelo menos 60% mais baixas do que o diesel.

Esta não é a primeira vez que a IVECO ganha este prêmio, mais recentemente em 2018, o Cursor 13 movido a gás LECO Stralis, o antecessor do S-Way, foi premiado. Na categoria de distribuição do prêmio Caminhão Sustentável do Ano 2021, o Renault D-Wide 320 e a versão híbrida suave do Ford Transit para vans foram escolhidos como os vencedores.

Publicidade
Categorias caminhãoiveco
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação