Publicidade

China construiu um caminhão aerodinâmico

Publicidade

A marca Huanghe na China foi usada pela primeira vez pelo Skoda 706 local, depois pelo ROMANO

Apesar de qualquer pandemia, a China continua a desenvolver sua indústria: outro avanço no desenvolvimento de veículos comerciais foi demonstrado pela conhecida empresa CNHTC em nosso país – ela produz caminhões HOWO, Hania, SITRAK e mais algumas centenas de modelos.

Desta vez, a filial de Jining se anunciou, apresentando seu carro-chefe da linha Huanghe X7. Por design, não há inovações nele – este é um trator convencional com um arranjo de rodas 6×4, projetado para um trem rodoviário de 40 toneladas. As unidades principais, incluindo diesel e eixos, são análogas à marca alemã MAN feita na China. O que não é surpreendente, considerando a joint venture com a CNHTC, que recebeu toda a documentação e equipamentos dos modelos MAN F2000 e TGA.

A principal diferença entre os novos itens é o formato incomum da parte dianteira bizarra da cabine com um para-brisa estranho e bagunçado. Graças a isso, porém, o coeficiente de arrasto desse trator é de 0,37, aproximando-o neste indicador dos automóveis de passeio. Com isso, de acordo com as garantias dos criadores, o óleo diesel é economizado (até 15% em relação aos tratores convencionais).

E o nome Huanghe, que pouco nos diz, remete à história da marca CNHTC. O fato é que foi ele (“rio amarelo” na tradução) que foi transportado pelos primeiros caminhões chineses. Em 1963 (ou 1967, os dados variam), a fábrica iniciou a produção do JN150, uma cópia licenciada do Tchecoslovaco Skoda 706. Em seguida, eles foram substituídos por outros carros da mesma marca, desta vez produzidos sob a licença do ROMANO romeno. Estas últimas, com inúmeras modificações, foram produzidas até o início do novo milênio. Portanto, este nome é conhecido em toda a China e tem como objetivo destacar a alta competência de novos empreendimentos.

Publicidade
Categorias caminhãonovidade
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação