Publicidade

Scania está testando atualmente a possibilidade de usar a energia solar

Publicidade

Além disso, o veículo comercial também deve servir como fonte de energia.

A Scania revestiu o trailer de um semirreboque com células solares. Eles produzem eletricidade para impulsionar o híbrido plug-in.


O fabricante sueco de veículos comerciais Scania, como a MAN, uma subsidiária do Grupo Volkswagen, está testando atualmente a possibilidade de usar a energia solar para melhorar a eficiência de caminhões com acionamentos híbridos plug-in.

As laterais do semirreboque de 18 metros de comprimento foram revestidas com células solares. Segundo a empresa, a área total é de 140 metros quadrados. O sistema armazena energia solar, que é usada em eletricidade para recarregar a bateria de tração.

O caminhão equipado com energia fotovoltaica, que está sendo usado por um despachante sueco como parte de um teste de campo, consome entre cinco e dez por cento menos diesel do que um híbrido plug-in sem o reboque correspondente. Este valor se aplica ao uso do veículo na Suécia. A Scania espera que o potencial de economia possa ser duplicado em regiões ensolaradas como a Espanha.

Até 14.000 kWh por ano


O sistema fotovoltaico do caminhão de teste na Suécia deve ser capaz de gerar até 14.000 kWh de eletricidade ahttp://scania.com.br/nualmente. Além de usar essa energia no veículo, a Scania quer investigar se o caminhão com sua função de carregamento bidirecional também pode servir como fonte de energia. Se o semirreboque ficar estacionado por mais tempo, por exemplo no fim de semana, a eletricidade da energia solar também pode ser fornecida à rede local.

Ainda não se sabe para qual período a fase de teste está planejada e se há uma chance de uso em série, então em cooperação com um fabricante de reboques.

Os caminhões puxam grandes áreas com seus reboques, que costumam ser usados ​​para inscrições ou anúncios da empresa de transporte. Em um momento em que a eficiência também está se tornando cada vez mais importante no transporte de mercadorias, as células solares poderiam substituir parcialmente as impressões coloridas. Os custos e o peso adicional ainda não são claros.

Publicidade
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação