Publicidade

O Estado deve entregar até o fim do ano a RS-118 duplicada

Publicidade

Estado já coloca a nova rodovia duplicada na lista de concessões estaduais que devem ser analisadas até abril de 2021; com as concessões, EGR deve deixar de existir

Como esperado (a gente já havia adiantado essa aqui no Sabe-Tudo há alguns dias), a rodovia Mario Quintana, que entra nos seus finalmentes de conclusão após década e meia de duplicação, foi incluída no estudo do governo do Estado para concessão de estradas e pedágios que deve ser realizado até abril de 2021. O Estado deve entregar até o fim do ano a RS-118 duplicada em 21,5 km, da BR-116 (em Sapucaia do Sul) à BR-290 (em Gravataí). A ideia com a concessão é ampliar a duplicação em outros 17 km entre Gravataí e Viamão. A concessão com pedágio teria esta finalidade, além da manutenção do trecho que está sendo concluído e que receberá em 2021 novas passarelas (pelo menos a primeira deve ser erguida ainda neste ano, segundo o governo).

O fim da EGR

Neste pacote de análise de concessões de rodovias estaduais está também o fim da Empresa Gaúcha de Rodovias, criada há oito anos, no final do governo Tarso Genro. A grande verdade é que a empresa foi cercada de polêmicas, até mesmo na aplicação de recursos. Muitos prefeitos pediam melhorias em trechos pedagiados de rodovias estaduais que atravessam suas cidades e recebiam como resposta que não era possível devido a alguns entraves estatutários da criação da EGR. Bom, com a concessão isso deve mudar.

RSs concedidas

Três rodovias estaduais dos Vales do Sinos e Caí e da Serra que estão sob o comando da EGR e que estão no pacote de concessões em estudo pelo Estado são as RSs 115, 239 e 240 A grande preocupação dos usuários é o valor da tarifa. A 239 e 240 tem uma das tarifas mais baixas do Estado: R$ 6,50 para ir e voltar enquanto que nas outras o pedágio total é de R$ 7,00.

Volta de escolas

Após Esteio e Sapucaia do Sul liberarem o funcionamento de escolas de Educação Infantil da rede particular, amanhã é a vez de São Leopoldo. A rede pública segue no aguardo. A estadual já estaria liberada nesta semana, mas teve, por questões estruturais, adiada a volta para o dia 20. Já a municipal, a princípio, não volta neste mês e para muitos municípios nem neste ano.

Retorno não público

Exatamente nesta semana se completam 7 meses desde que as aulas presenciais foram suspensas em março por causa da pandemia.

E a Covid se foi?

Com regiões até em bandeira amarela (algo que não acontecia desde junho), o RS vai flexibilizando medidas restritivas para frear a Covid-19, o que muita gente achava que só aconteceria com a chegada da vacina. Em São Paulo tem cidade com tudo liberado já em bandeira verde.

Aglomerações

Com bares e restaurantes cheios, e o pessoal sem máscara para comer e beber, fica difícil evitar contaminações.

Alguém explica?

Cinemas, teatros e até parques aquáticos liberados no RS, para regiões/municípios que estão há duas semanas na bandeira laranja ou amarela. O uso destes espaços exigirão medidas mais do que especiais. Por exemplo: como é que funcionará a higienização de uma piscina com crianças? Vai ter máscara? E quando engole água sem querer? Cospe? Engole? Higienização complicada…

Fonte: Jornal NH

Publicidade
Categorias ESTRADASgoverno
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação