Publicidade

Neni se tornou empresário e ja comprou vários caminhões

Publicidade

Duvido que você lembra de todos os caminhões, veja todos os caminhões que o Neni já teve e o apelido de todos.

Conheça todos os caminhões que o Claudemir Gigliotti que é mais conhecimento como nas redes sociais como Neni. O motorista de caminhão tem uma longa história na internet ao expor o dia a dia da sua difícil profissão. Neni tem como objetivo divertir todos aqueles que assistem o seu conteúdo, no entanto, o caminhoneiro sabe o momento correto de falar sério.

Claudemir Gigliotti tem uma grande história em sua profissão e consequentemente já teve diversos caminhões de trabalho. Então iremos abordar os caminhões que o Neni já teve e matar a saudade dos brutos.

Primeiro caminhão

Neni fez um vídeo revendo o seu primeiro caminhão e o que não faltou nesse vídeo foi nostalgia, que foi apelidado de mula como todos os seus caminhões têm apelido carinhoso dado pelo Neni.

Segundo caminhão

O segundo caminhão dele era um Iveco com carroceria de guincho e tinha como apelido de cabritinho. No vídeo podemos perceber o seu bom humor quando relatou que errou uma manobra e marcou o pneu de branco.

Terceiro caminhão

Sem dúvida alguma esse foi um passo muito grande para o grande Claudemir Gigliotti, ao adquirir um caminhão para puxar carga pesada. O Neni reconheceu o agir de Deus em sua vida com uma enorme conquista. Sendo apelidado carinhosamente de carneiro.

Quarto caminhão

Trocou para outro Iveco, porém, um Hi-Way qualificado 480 apelidado de corujão, caminhão muito conservado com foco para carga pesadas.

Quinto caminhão

Ai o homem virou apaixonado da marca Iveco essa trocou foi a terceira para os caminhões da marca e sendo apelidado de morcegão.

Sexto caminhão

Continuo com a marca Iveco sendo um vermelho Hi-Way, no qual o Neni gerou muito conteúdo em estradas com péssimas condições e cheias de atoleiro. Por ter uma cor vermelha para um tom de laranja ficou apelidado de Abrobão.

Publicidade
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação