Publicidade

Caminhões abre o caminho para o funeral de caminhoneiro

Publicidade

Mark Dawson morreu aos 60 anos após uma batalha contra o câncer de estômago

Caminhões abre o caminho ao comboio de caminhões seguiu o caixão de um conhecido motorista de caminhão enquanto os enlutados tocavam suas buzinas em homenagem a ele.

Mark Dawson faleceu em 27 de setembro, meses após ser diagnosticado com câncer de estômago.

Agora, o funeral do avô de 60 anos, de Stafford , aconteceu hoje.

Mark, que também sofreu um derrame um dia antes de morrer no Katharine House Hospice, havia trabalhado nos Serviços ACP baseados em Eccleshall por dois anos e meio. Ele tinha licenças de classe um e dois para caminhões.

A procissão de hoje foi conduzida pelo caminhão de Stan Robinson, que foi usado para carregar o caixão para o Crematório de Stafford.

Ele foi seguido por uma frota de caminhões enquanto os enlutados prestavam suas homenagens. Os caminhões deixaram Tollgate Industrial Estate e encontraram o caixão do lado de fora do Joiners ‘Arms – o pub local de Mark.

De lá, eles seguiram em direção ao crematório para o funeral.

O comboio foi organizado pelo amigo e colega de Mark no ACP, Nick Day.

A esposa de Nick, Donna, de 55 anos, de Stafford disse: “Nick conhecia Mark há mais de 20 anos. Ele organizou o comboio de caminhões em respeito a ele. Ele era um grande amigo e está muito triste por não o ter mais em sua vida.

“Ficamos arrasados ​​quando descobrimos que ele faleceu. Tínhamos ido vê-lo na semana anterior e ele parecia muito animado, nos conhecia e estava contando piadas. Ele não tinha perdido seu senso de humor em tudo.

“Mark era um homem muito corajoso e nada era demais para ele. Ele nunca se esquivou do trabalho. Ele foi um personagem e deixou um grande buraco em muitas de nossas vidas.

“Ele sempre encontrava seus amigos no Joiners ‘Arms com um sorriso ou até mesmo um comentário sarcástico. Ele era uma pessoa genuína. ”

Agora Mark deixou para trás os filhos Adam e Joe Dawson, e um neto.

Seu papel no ACP incluía dirigir caminhões e levá-los para seus MOTs. Ele também levava caminhões de volta para os clientes ou os pegava.

Publicidade
Categorias caminhoneiro
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação