Publicidade
Categorias Sem categoria

Fila quilométrica de caminhoneiro após interdição por garimpeiros na BR-158

Publicidade

BR-158 segue interditada por garimpeiros

Fila quilométrica de caminhoneiro na rodovia BR-158 segue interditada, na manhã deste a quarta-feira (23), próximo à cidade de Redenção, no sul do Pará. A rodovia está bloqueada desde a tarde do último sábado (19) por um grupo de garimpeiros, que protesta contra operações do Ibama de combate aos garimpos ilegais na região e também pedem a legalização das áreas de mineração ilegal.

O trecho bloqueado fica próximo à ponte sobre o Igarapé Maginco. A interdição já causa um engarrafamento quilométrico de veículos pesados.

Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), a rodovia é o principal corredor de tráfego daquela região. Os garimpeiros criticam as operações do Ibama, dizendo que os gentes ambientais queimam máquinas utilizadas em garimpo ilegal, o que causa prejuízo para eles.

Fila quilométrica de caminhoneiro e os garimpeiros também pedem ao governo federal que as áreas de garimpo ilegal sejam regularizadas, algumas áreas ficam em reservas indígenas. Os garimpeiros se apoiam nas promessas de campanha do presidente Jair Bolsonaro, que prometia liberar a garimpagem no país.

O Dnit informa que está acompanhando a situação. O órgão observa que naquele trecho não há desvio para que veículos de grande porte sigam viagem.

Já para os veículos leves e de pequeno porte, o departamento orienta que façam o desvio por uma estrada vicinal, que dá acesso à comunidade de Arraiá Porã, na zona rural de Redenção, até retornarem para a BR-158.

Fonte: Ze Dudu

Publicidade
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação