Publicidade
Categorias CaminhãoDAF

DAF ao tribunal por causa de cartel de caminhão

Publicidade

Iniciou um processo judicial contra a DAF e processou o fabricante do caminhão por danos causados ​​pelo cartel de caminhões. Por causa de acordos de preços secretos entre os fabricantes, as empresas pagaram um preço muito alto pela compra de seus caminhões e sofreram danos conseqüentes, como prêmios de seguro excessivos.

Para as mais de 3.000 empresas afiliadas, o prejuízo é estimado em 410 milhões de euros. A MKB-Claim opta por levar a tribunal o fabricante de caminhões com sede na Holanda. A DAF é solidariamente responsável por todos os danos causados ​​pelo cartel. Este fabricante pode, por sua vez, recuperar os danos que teve de pagar por outras marcas de outros fabricantes que participaram do cartel. O MKB-Claim está conduzindo o procedimento em nome da empresa.

Em média 16.400 euros de indenização por caminhão

Pesquisa da agência econômica contratada pela MKB-Claim mostra que uma média de 10,3% foi paga a mais por caminhão durante o período do cartel. O valor do dano depende do ano da compra e, incluindo os juros legais, pode ascender a € 30.000 por camião. Além disso, o MKB-Claim reivindica prêmios de seguro pagos em excesso.

Os clientes pagaram até 5% de prêmio de seguro a mais, porque esse prêmio é parcialmente baseado no preço de compra do caminhão. Esses custos também são recuperados do cartel pela MKB-Claim.

Envolvimento do cartel já foi admitido

Em 2018, as partes já estavam em juízo na tentativa de chegar a um acordo sob orientação do tribunal. Isso não levou a negociações de acordo.

Simon: “Os principais fabricantes de caminhões vêm delirando sobre seus clientes há anos. É decepcionante que uma empresa conceituada como a DAF não assuma qualquer responsabilidade e não apresente uma proposta para compensar os clientes. A DAF e os outros fabricantes já admitiram seu envolvimento no cartel. ”

Publicidade
Categorias caminhaodaf
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação