Publicidade
Categorias DNITEstradas

Cerca de sete empresas entram na disputa para pavimentar 52 km da BR-319

Publicidade

Cerca de sete empresas segundo o Ministério da Infraestrutura e o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) receberam sete propostas em licitação para contratação da empresa que vai elaborar o projeto básico e executivo de engenharia e realizar as obras de pavimentação e de reconstrução de 52 quilômetros na BR-319/AM, que compreende o lote C (ou lote Charlie), localizado entre os quilômetros 198 e 250.

Após a abertura das propostas, a ordem inicial de classificação das empresas, cujos nomes não foram divulgados, foi obtida e agora será analisada a documentação para conferir a habilitação das mesmas. Após a declaração da vencedora, será aberto o prazo recursal, conforme a legislação em vigor. Em seguida, o resultado será homologado pela Diretoria Colegiada do Dnit, declarando a vencedora da licitação.

A rodovia é uma importante via de ligação entre os estados do Amazonas e de Rondônia. As obras de pavimentação do trecho C aproveitarão o traçado já existente da rodovia, mantendo a largura da plataforma, com duas faixas de rolamento e dois acostamentos. Para facilitar a parada em segurança dos veículos, serão implantados recuos.

O segmento também contará com passagens de fauna aéreas e subterrâneas, com cercas direcionadoras para garantir a preservação dos animais que cruzam a estrada e, ainda, serão recuperadas áreas degradadas nas adjacências da rodovia. Serão mais de mil mudas nativas plantadas. Foram previstos, ainda, sistemas de drenagem para preservar a integridade da pista.

Cerca de sete empresas tem interesse na pavimentação da BR-319/AM é fundamental para o transporte de pessoas e a integração social dos estados do Amazonas e Rondônia. A reconstrução dos 52 quilômetros vai garantir maior segurança e redução no tempo de viagem. Hoje, as alternativas à rodovia são o transporte por barco ou avião.

Fonte: Amazonas Atual

Publicidade
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação