Publicidade

Caminhoneiro que ficou 6 dias esperando descarga cobra seus direitos

Publicidade

Um caminhoneiro que ficou 6 dias aguardando em pátio de empresa, para que fosse realizada a descarga em seu caminhão. O condutor afirma que teria carregado seu caminhão no dia 14/09/2020 na empresa vitarella do grupo M Dias Banco.

Então relatado pelo motorista de caminhão, que tinha seu agendamento marcado para o dia 17/09/2020, no entanto, conseguiu chegar com um dia de adiantamento. Até então, tudo bem, chegando no próximo dia que seria o combinado para realizar a descarga que não ocorreu como combinado no ato da contratação.

Contudo o caminhoneiro só foi chamado para realizar a descarga na mercadoria no baú do seu caminhão na terça-feira dia (22). Ainda assim, ficou cerca de 6 dias parado, tendo que dormir em caminhão no pátio da empresa, realizar suas necessidades fisiológica e as suas refeições.

Mas o caminhoneiro informado sobre a lei

Dessa forma, o condutor bem informado e conhecedor da lei indagou sobre suas diárias durante o tempo que teve que ficar parado, sem condições de realizar outros fretes enquanto a mercadoria estava em seu caminhão. A fim de ter um ressarcimento o condutor cobrou a empresa e ainda informou que “Meu caminhão não é um deposito para uma empresa desse tamanho.”

De imediato caminhoneiro que ficou 6 dias entrou em contato com a diretoria do sindicato que representa a categoria, informando toda a sua experiência vivenciada ao prestar serviço para empresa mencionada. Com toda certeza o seu pedido foi atendido pelo sindicato e que estar tomando as devidas providências para auxiliar o condutor ter o seu direito garantido por lei.

O que diz a lei de carga e descarga ?

Conforme a Lei de carga e descarga no paragrafo 5º do Artigo 11 da lei 11.442/07 com alteração pela lei 13.103/2015, que garante o direito de o caminhoneiro esperar por no máximo 5 horas para que a empresa realize o descarregamento no caminhão. Depois que vencer o prazo máximo de 5 horas o condutor tem o direito garantido por lei de cobrar multa de R$ 1,69 por tonelada /hora ou a fração multiplicada pela capacidade de carga do veículo.

A equipe do Brasil do Trecho acha muito importante todos os caminhoneiros exigirem a multa em caso de descumprimento da lei. Dessa forma, quanto mais exigido for, logo as empresas vão começar a respeitar o caminhoneiro.

Respeitamos a atitude do caminhoneiro exigir seus direitos previsto em lei, de fato o seu caminhão não pode servir de deposito, tendo vista que é sua ferramenta de trabalho. Quanto tempo parado menor será a receita adquirida pelo profissional.

Publicidade
Junior Ribeiro

Engenheiro Civil no 10º semestre pela Universidade Estácio de Sá, um amante de veículos pesados devido grande influência do pai. Aos 7 anos de idade o seu maior sonho era ser motorista de transporte coletivo, no entanto, no ano de 2014 ingressou em uma empresa de transporte coletivo, como jovem aprendiz onde juntamente com seu amigo de trabalho fundou o Brasil do Trecho.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação