Publicidade
Categorias Caminhoneiro

5 Caminhoneiros que perdeu a paciência durante a entrega

Publicidade

1- Descarregando Soja no pátio da empresa

Após aguardar 3 dias sair uma nota discal o caminhoneiro resolveu descontar sua raiva descarregando a carga de soja no pátio da empresa, alguns colegas que estavam presentes no local chegou a dizer que o motorista estava revoltado e que a situação poderia ocasionar um demissão.

2- Caminhoneiro descarregando carga de Malte no Pátio da empresa.

um caminhoneiro descarregou uma carga no pátio da Agrária Malte, por não conseguir descarregar os grãos no local. após várias tentativas de negociar o motorista resolveu descarregar ali mesmo, onde tudo foi gravado por alguns colegas de estrada.

3- Motorista que foi Desafiado pelo porteiro

O Caminhoneiro foi desafiado pelo porteiro da empresa após questionar sobre seu descarregamento. O motorista revoltado mostrou que era de palavra e acabou fazendo descarregando ali mesmo na frente da empresa.

4- Descarregando Soja no pátio da empresa

O caminhoneiro foi surpreendido após chegar na empresa e ter seu descarregamento bloqueado. De acordo com as informações a empresa fez o bloqueio após solicitar a carteirinha da ANTT do motorista e perceber que a mesma estava vencida. O motorista ficou revoltado e descarregou a carga ali mesmo na frente da empresa.

5-Descarregando carga de milho

Após aguardar durante 2 dias o caminhoneiros ficou revoltado e acabou descarregando a carga de milho em frente a empresa. O fato aconteceu em Uberlândia.

Agora é Lei (13.103/15): Carga e Descarga de Veículos contarão com prazo máximo para realização

Conforme a Lei 13.103/15, a lei entrou em vigência no dia 17/04/2015, modificando a Lei 11.442/07, o prazo máximo para carga e descarga do Veículo de Transporte Rodoviário de Cargas será de 5 (cinco) horas, contadas da chegada do veículo ao endereço de destino.

Após o período em questão, será devido ao Transportador Autônomo de Cargas (TAC) ou à Empresa de Transporte Rodoviário de Cargas (ETC) a importância equivalente a R$1,38 (um real e trinta e oito centavos) por tonelada/hora ou fração.

Você já passou por alguma experiência ruim como essa? deixe seu comentário.

Fonte: Brasil do Trecho

.

Publicidade
João Neto

Sou apaixonado pelo empreendedorismo, caminhão e ônibus e Hoje me dedico 100% aos amigos caminhoneiros com noticias e dicas da estrada.

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação