Publicidade

Segundo DNIT BR-470 vai receber R$ 20 milhões para duplicação

Publicidade

Recurso que vai garantir continuidade da obra

Segundo DNIT BR-470 terá as obras de duplicação da BR-470, que vão de Navegantes a Indaial, vão receber um aporte adicional de aproximadamente R$ 20 milhões. A informação foi revelada pelo superintendente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em Santa Catarina, Ronaldo Carioni, durante reunião virtual do Conselho de Infraestrutura e da Câmara de Assuntos de Transporte e Logística da Federação das Indústrias (Fiesc), nesta quinta-feira (27).
Segundo Carioni, o recurso virá de emendas parlamentares. “Vai ter uma nova suplementação de R$ 20 milhões. Estão fazendo uma ginástica lá dentro do próprio DNIT (nacional) para que a BR-470 não pare e a gente entregue obra”, disse.
O superintendente ainda ressaltou que a rodovia federal que liga o litoral de Santa Catarina ao Rio Grande do Sul é a prioridade do DNIT, por isso está sempre nos debates. Ele também atualizou para os empresários o andamento da obra nos 73,18 quilômetros da estrada:
Lote 1 – Navegantes a Luiz Alves: 51,4% das obras executadas;
Lote 2 – Luiz Alves a Gaspar: 78% de execução;
Lote 3 – Gaspar a Blumenau: 30,87% de execução;
Lote 4 – Blumenau a Indaial: 29% das obras executadas.

Manutenção das rodovias

O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, afirmou disse que o aporte de recursos para as obras nas rodovias federais é um alento, mas destacou a necessidade de um volume maior de investimentos em infraestrutura de transporte.
Ele também ressaltou a importância da manutenção preventiva das rodovias e destacou que, com a tecnologia disponível atualmente, não é possível concordar com obras “tapa-buracos”.
“Os investimentos com recuperação de rodovias têm sido bastante elevados. Talvez sejam elevados por conta da falta de manutenção preventiva ou por causa de uma ação corretiva inadequada. Hoje, com a moderna tecnologia, não podemos concordar com obras tapa-buracos. Há muito tempo temos falado que rodovias não podem ter buracos. Buracos ocorrem por falta de manutenção preventiva”, afirmou.
Ronaldo Carioni, superintendente do DNIT, concordou com a importância da manutenção e disse que é um dos focos do órgão, apesar da escassez de verbas para esta finalidade. Segundo ele, desde 2017 os recursos foram reduzidos: eram R$ 187 milhões em 2017 e para esse ano passou para pouco mais de R$ 92 milhões.“Estamos dando atenção para os pontos mais críticos e dando suporte dentro da limitação orçamentária que temos”, explicou.

Publicidade
admin_brasildotrecho

Deixe um comentário

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação