Publicidade

Nova pavimentação da BR-163 reduz frete em 16%

Redução de 16% no frete do milho após melhoria na BR-163

Nova pavimentação da BR-163 com mais de 90% da segunda safra de milho colhida em Mato Grosso, os agricultores do Estado contam com um recuo de 16,3% no frete rodoviário para escoamento do cereal pelo Arco Norte, no primeiro ano em que a pavimentação da BR-163 se converteu em benefício logístico.

O recuo do frete, um custo relevante para o setor, é mais um fator a impulsionar a rentabilidade do produtor brasileiro, que foi beneficiado este ano por uma demanda firme da China e pelo efeito do câmbio sobre os preços na temporada de 2019/20. Depois de exportar a maior parte da soja, o país agora entra na campanha de embarques de milho.

Dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) fornecidos à Reuters indicam que o custo de transporte de grãos entre Sorriso (MT) e Miritituba (PA) caiu de 239 reais por tonelada em julho de 2019 para 200 reais no mês passado.

“A pavimentação contribuiu para o aumento na capacidade logística de Mato Grosso. Como estamos com mais de 90% da safrinha de milho colhida, o trabalho agora é levar para o porto”, disse o superintendente do Imea, Daniel Latorraca.

Nesta semana, a produção de milho 2019/20 em Mato Grosso, maior produtor de grãos do país, foi estimada pelo Imea em 33,48 milhões de toneladas, alta de 203 mil toneladas ante a projeção divulgada em julho e avanço de 3,16% ante temporada de 2018/19.

O diretor executivo do Movimento Pró-Logística, Edeon Vaz Ferreira, ligado à associação de produtores de soja e milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), afirmou que até o ano passado o frete era maior porque o caminhoneiro não sabia quanto tempo levaria no deslocamento até os portos do Norte/Nordeste.

“Os motoristas estão fazendo de cinco a seis viagens por mês. Antes da pavimentação na BR-163, eram de duas a três viagens no mesmo período”, explicou Ferreira.

“Por isso, o valor do frete não caiu, ele veio para uma realidade de condições que sempre deveríamos ter tido”, acrescentou o diretor.

Nova pavimentação da BR-163 o custo atual do frete entre Sorriso e Miritituba está 20 reais por tonelada abaixo da média histórica para julho, de 220 reais, conforme dados do Imea. Em julho de 2018, a despesa com a logística neste trecho chegou a alcançar um pico de 268 reais por tonelada.

Essa diferença foi obtida com a pavimentação de um trecho da BR que leva até Miritituba, de onde o produto é colocado em barcaças que seguem pelo rio Tapajós até os portos exportadores do Amazonas –o transporte fluvial também ajuda na redução de custos da cadeia produtiva.

Fonte: Extra

Publicidade
admin_brasildotrecho

Deixe um comentário

Postagens recentes

5 Transportadoras com vagas para motorista

Confira as 5 transportadoras que abriu vagas para motorista durante a semana.

13 minutos atrás

Caminhoneiro de 25 anos diz que ondulação fez com que carreta tombasse

Ocorrência foi registrada no km 88, no bairro São Gotardo Caminhoneiro de 25 anos diz que ondulação contribuiu para tombamento…

18 minutos atrás

Criminalidade caminhoneiro é roubado duas vezes na mesma manhã pela mesma dupla

Caminhoneiro é abordado por marginais duas vezes na mesma manhã em Itabaiana Criminalidade caminhoneiro é roubado quando estava em uma…

12 horas atrás

10 caminhões que não deram certo no Brasil

Conheça os 10 modelos de caminhão que não deu muito certo no Brasil.

14 horas atrás

Caminhoneiro piauiense morre atropelado pelo próprio veículo

Silas era natural de Colônia do Piauí e em Oeiras trabalhou por longos anos com o empresário Chico de Cazé…

17 horas atrás

É possível usar diesel S-10 em veículos antigos?

Esta é uma pergunta bem recorrente, desde que o diesel S-10 começou a ser comercializado no Brasil em 2013. A resposta é…

17 horas atrás

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação