Publicidade

Em decreto Bolsonaro autoriza exercito em fiscalizar cargas de madeiras

Decreto que autoriza uso das Forças Armadas na proteção da Amazônia Legal é prorrogado

Em decreto Bolsonaro autoriza segundo o presidente da República, Jair Bolsonaro, prorrogou até 10 de julho, por meio do decreto 10.394, o emprego de militares para combater focos de incêndio e desmatamento ilegal na chamada Amazônia Legal.

A determinação se aplica à faixa de fronteira, terras indígenas, unidades federais de conservação ambiental e em outras áreas federais nos Estados da Amazônia Legal.

Últimas 24 horas das ações

O Comando Conjunto Barão de Melgaço executou ações de inspeção, fiscalização ambiental e patrulhas navais e aéreas na região de Cáceres, Tabaporã, Juína, Pontes, Lacerda, Palmarito, Corixa, Fortuna e Comodoro, todas em Mato Grosso. Foram revistadas 43 viaturas e mais de 20 embarcações, resultando na apreensão de 373,08 metros cúbicos de madeira e sete caminhões, além da aplicação de multas, que totalizaram valor acima de R$ 100 mil.

Já o Comando Conjunto Príncipe da Beira revistou 58 viaturas, 38 embarcações e 02 aeronaves, resultando na apreensão de 01 embarcação, 1.200 quilos de salsicha, 216 quilos de hambúrguer e 42,97 metros cúbicos de madeira em Ji-Paraná, Rondônia. A multa aplicada foi superior a R$ 700 mil. Presente nos Estados do Acre, do Amazonas e de Rondônia, o Comando executou patrulha motorizada, terrestre, naval e aeromóvel, além de estabelecer postos de bloqueio e controle fluvial e de estradas e apoiar a fiscalização ambiental interagências.

Na área do Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea, que atua no Estado do Pará, a Marinha revistou 42 embarcações, sendo duas apreendidas durante as inspeções e patrulhas navais. Por terra, os militares do Exército estabeleceram postos de bloqueio e controle de estradas e ações de reconhecimento terrestre, além de apoiar a logística dos órgãos civis na região.

Resultados

A Operação Verde Brasil 2 terminou o primeiro mês com resultados expressivos. Durante as ações de fiscalização foram identificadas áreas de desmatamento e corte ilegal de madeira, resultando em mais de 14,4 mil metros cúbicos de madeira apreendida e aplicação de 288 multas, que somadas superaram R$ 103 milhões.

Além disso, foram vistoriados 4.850 veículos e 2.273 embarcações. No total, foram apreendidos 131 veículos, entre carros, reboques, motos e caminhões, 50 tratores, escavadeiras ou máquinas agrícolas e 113 embarcações. Também foram destruídos 104 equipamentos, entre veículos, motores de garimpo, balsas, tratores, escavadeiras, máquinas agrícolas e outros. A repressão aos delitos também resultou em apreensão de 65 animais silvestres mortos, 12,250 quilos de pasta base de cocaína, 418,16 quilos de minério de cassiterita, 7 mil litros de óleo diesel e 18 armas de fogo. Os fiscais, apoiados pelos militares, ainda apreenderam perto de 1,5 tonelada de produtos do extrativismo, de caça e de pesca obtidos ilegalmente.

Nas comunidades e distritos próximos às Bases de Operações foram desencadeadas ações de conscientização, contribuindo para esclarecer e mudar a postura da população com relação aos ilícitos ambientais.

Operação Verde Brasil 2

Em decreto Bolsonaro autoriza a Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República, em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão deflagrada pelo Governo Federal, em 11 de maio de 2020, visa ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal. A determinação presidencial para emprego das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi publicada no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.341, de 6 de maio de 2020, e tem validade para o período de 11 de maio a 10 de junho do corrente ano.

Para cumprir a determinação presidencial, o Ministério da Defesa ativou três Comandos Conjuntos. São eles: Comando Conjunto Príncipe da Beira (CCj PB), em Porto Velho (RO); Comando Conjunto Barão de Melgaço (CCj BM), em Cuiabá (MT); e Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (CCj MSA), em Belém (PA). Assim como na Operação Verde Brasil ocorrida em 2019, o Centro de Operações Conjuntas do Ministério da Defesa coordena as atividades a partir de Brasília (DF).

Ainda participam da missão integrantes da Polícia Federal, Policia Rodoviária Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMbio), Força Nacional de Segurança Pública, Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Fonte: Defesa net

Publicidade
admin_brasildotrecho

Deixe um comentário

Postagens recentes

Scania r 540 highline é o caminhão verde 2020

A fabricante sueca se afirma contra a concorrência com baixo consumo e alta velocidade Scania r 540 highline tem a…

30 minutos atrás

Carregador elétrico PACCAR para caminhões modelo 220EV

Carregador elétrico PACCAR para caminhões modelo 220EV Carregador elétrico PACCAR em o prazer de colaborar com a Faith Technologies e…

30 minutos atrás

A nova gama de veículos elétricos CF com alcance estendido

Com a introdução da tecnologia VDL E-power A nova gama de veículos em testes operacionais dos primeiros modelos CF Electric…

31 minutos atrás

Novo serviço de telemetria HGV da Geotab

Novo serviço de telemetria e o especialista em dados de veículos Geotab lançou um serviço de telemática em HGV para…

31 minutos atrás

Mais e mais fabricantes estão criando caminhões elétricos

Mais e mais fabricantes de caminhões elétricos estão se tornando cada vez mais importantes para o abastecimento de lojas em…

31 minutos atrás

Caminhoneiros ficam parados em protesto de garimpeiros na BR-158

Grupo, que atua ilegalmente na região, conta com apoio de senador Caminhoneiros ficam parados na rodovia BR-158, no sul do…

31 minutos atrás

Esse website utiliza cookies.

Consulte Mais informação