Pesquisa aponta que 30% dos empresário pretende demitir funcionários devido COVID-19

Pesquisa diz que 30% dos empresários pretende demitir pela Covid-19 nos próximos 90 dias

Pesquisa aponta que 30% dos empresário com a pandemia do novo coronavírus, 30% dos empresários pretende demitir funcionários nos próximos 90 dias, segundo pesquisa. O dado foi levantado através da pesquisa do Grupo de Líderes Empresariais (Lide) divulgado na última quinta-feira (26).

Ainda sobre os ajustes, o corte de custo foi citado por 77,1%, novas estratégias comerciais tem 58,8% renegociação de fornecedores tem 50,3%, Renegociação de tributos tem 34,4%, parcerias tem 25,6% e injeção de capital teve 22,9%.

Já as medidas tomadas pelo poder público federal, foram avaliadas como “boas, mas é preciso um pacote mais abrangente” por 57,8% , o poder estadual teve 44,6% e o municipal 36,5%. Consideradas ruins e que precisam ser revistas, o governo federal teve 7,3%, o governo estadual 19,1% e o municipal 23%.

As novas receitas representaram 61,3%, a Rotina e Formato de Trabalho foi citada como onde a crise causou impacto primeiro por 15,3%, a Gestão de Risco e Operações foi escolhida por 10,4%, o atendimento ao cliente teve 9%, gestão de estoque 2% e outros, também com 2%.

Entre as principais medidas iniciais em relação ao time de trabalho, o home office foi mencionado por 46,2% dos respondentes, que destacaram 100% dos seus times. As demissões foram citadas pr 9% dos respondentes já realizaram desligamentos de contrato. E 17,6% das empresas já deram férias coletivas para seus funcionários e 15,6% reduziram as jornadas de trabalho.

Outro dado relevante foi que apenas 20% dos líderes afirmam que suas empresas estão preparadas para enfrentar a crise em termos de fluxo de caixa. 43,2 % disse que irá passar pela crise, mas terá que fazer ajustes. E 31,2% considerou que a empresa terá grandes dificuldades, mas passará pela crise.

Já para o impacto nos próximos 90 dias, a entrada de receitas também segue sendo o grande problema do empresariado. Com 72,9% dizendo que esse será o maior impacto no período. A gestão de Risco e Operações foi optada por 11,6% e o atendimento ao cliente por 6,8%, seguido de rotina e formato de trabalho com 5,8%. Outro obteve 2,9%.

Entre os líderes empresariais estão representados os mais variados campos do empresariado, entre eles o de serviços, a construção civil, o comércio, o varejo, transportes, alimentos e bebidas, indústria e agricultura.

A pesquisa foi feita entre os dias 22 a 25 de março, em 4 regiões do Brasil e contou com 398 empresas. A avaliação foi feita por formulário on-line sobre suas percepções, impactos e projeções sobre a crise do Covid-19.

Fonte: Bahia Noticias

brasildotrecho:

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Este site usa cookies.

ler