Lideranças dos caminhoneiros estão rachado em apoio ao Bolsonaro

Marconi França, representante dos autônomos de Pernambuco, também ativista da greve de 2018, não usa meias palavras. “Chorão e Junior são puxa-sacos do governo”, diz ele, sobre a atitude dos colegas.

Lideranças dos caminhoneiros estão num primeiro momento, Bolsonaro apoiou a paralisação e conquistou os votos de boa parte dos motoristas. “Posso dizer que pelo menos 90% votaram nele, mas muitos hoje estão arrependidos. Ele não apoia nossas causas, como a lei do piso mínimo e outras”, diz França, que no ano passado participou com outras lideranças de várias reuniões com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas.

Lideranças dos caminhoneiros estão rachados Nelson Junior, diretor do Sindicarga (Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga do Rio de Janeiro), pede apoio logístico na estrada, mas sem reabertura total do comércio.

Sei da dificuldade pela qual muitos estão passando, mas temos que escutar a OMS. Um ponto sobre o qual todos concordam é a necessidade de manter em funcionamento os estabelecimentos que servem de apoio para o trabalho dos caminhoneiros nas estradas.Nelson Junior, diretor do Sindicarga

“Precisamos de lugares para comer, dormir e tomar banho, além de material para prevenção do coronavírus”. Outra reivindicação é o cumprimento da promessa de franquear os pedágios aos veículos de carga.

Fonte: UOL

brasildotrecho:

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Este site usa cookies.

ler