Desmanche de caminhão tinha bloqueador de rastreador

Desmanche de caminhão tinha bloqueador de rastreamento e desmontava caminhão em 4h

Desmanche de caminhão tem bloqueador de sinal de rastreador, empilhadeira, insumos para embalo e agilidade para o desmonte dos veículos são indícios da “grande estrutura” que tinha uma quadrilha de desmanche de caminhões que foi descoberta em Piracicaba (SP), nesta sexta-feira (17), de acordo com a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Americana (SP), responsável pelas investigações.

Durante a operação foram mortos quatro suspeitos e presos outros quatro. Ao menos uma pessoa estaria foragida, ainda conforme a DIG.

No galpão onde os suspeitos foram flagrados estava um caminhão que foi desmontado em cerca de quatro horas, o que confirma a agilidade da quadrilha, diz a polícia.

Entre os aparatos do local, estão equipamentos para evitar aproximação da polícia.

“É um bloqueador de sinal de celular, rastreador de celular. Ele bloqueia o sinal de celular e impede que sejam transmitidas informações do rastreador do caminhão”, aponta o investigador da DIG André Miyazaki.
“Eles sabem o que estão fazendo, têm treinamento para isso, são rápidos e até pela característica criminosa da atividade têm que ser rápidos mesmo para desmontar o caminhão, destruir os indícios que fazem com que o caminhão seja identificado e aí eles podem embalar as peças e vender no mercado negro”, explica o policial Emerson Siqueira, que também integra a DIG de Americana.

Ele alerta para que a população não compre peças em desmanches ou com origem duvidosa, para não fomentar essa prática criminosa.

No local, havia quatro tanques de combustível, um motor e outras peças já prontas para venda, além de um estoque de plástico para embalagem.

Próximos passos

O próximo passo é descobrir a origem das peças separadas e de um caminhão flagrado quando trazia embalagens para o local. Com a ação desta sexta a polícia vai ter uma dimensão do tamanho da quadrilha e da área de atuação do grupo.

“Tem uma grande estrutura. Tem empilhadeira, material para corte, tanto que a parte do chassi já está toda picada. Pelo número de tanques que a gente localizou ali, no mínimo quatro caminhões já estiveram aqui nesta semana”, acrescentou Miyazaki.

A operação

A Polícia Civil, a equipe do Helicóptero Águia da Polícia Militar o Batalhão de Ações Especiais de Polícia (Baep) participaram da operação. O local fica no bairro Sete Barrocas e os suspeitos foram flagrados quando ainda desmontavam uma carreta.

Há dois meses uma quadrilha de roubo a caminhões era investigada pela DIG de Americana. Eles monitoravam um suspeito de Americana e, nesta sexta-feira, seguiram ele até o local apontado como o desmanche.

Quando chegaram ao local, havia cerca de oito pessoas trabalhando, que fugiram. A DIG aponta que eles estavam desmanchando um caminhão que chegou no mesmo dia na cidade.

Inicialmente, foi presa uma pessoa no barracão e duas na mata. Depois, chegou ao local um caminhoneiro de Campinas com placas de Hortolândia, que não percebeu a presença da polícia, que estaca descaracterizada.

Ainda conforme a polícia, o caminhão estava trazendo plástico bolha para embalar as peças e o motorista foi preso também. As mortes ocorreram em confronto, na mata que fica no entorno do barracão, acrescentou a polícia.

Fonte: G1

brasildotrecho:

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Este site usa cookies.

ler