Falta de infraestrutura pode parar MA-006

Falta de infraestrutura adequada na rodovia estadual deixa o fluxo lento e perigoso. Rodovia serve para escoar produção de milho e algodão no interior maranhense.

Motoristas teme que nos próximos dias o trânsito na MA-006 seja interrompido devido a falta de infraestrutura. A trafegabilidade ficou ainda mais complicada por conta da chuva que voltou na região. Lama e buracos são os principais obstáculos na importante via de escoamento de produção da região.

Além do tempo de viagem que aumenta, tem ainda os prejuízos com os veículos devido as condições ruins da estrada. Os caminhoneiros já sabem que quando trafegam pelo local, a missão é árdua. O trecho mais complicado é o que fica entre Balsas e Alto Paranaíba. O asfalto praticamente não existe mais.

“Só com uma pequena chuva, praticamente acabou a estrada. Eu rodo nesta estrada há 15 anos e todo ano é assim, tapam os buracos com terra e a primeira chuva tira tudo”, declarou o caminhoneiro Adinael Gonçalves.

Devido esses problemas, a velocidade desenvolvida nos caminhões em boa parte da rodovia costuma ser de no máximo 20 km/h. E como a rodovia é estreita e de mão dupla, em alguns pontos, é preciso que uns motoristas parem para que os que vêm no sentido oposto consigam seguir viagem.

Neste período, os agricultores estão levando sementes e adubos para as fazendas. Tem ainda o transporte das safras de milho e algodão. Cada carreta transporta em média, 40 toneladas dessas cargas. Além de servir para esta rota, nos últimos meses, as toras de eucalipto também são transportadas pela rodovia.

“Se chover mais um pouco, vamos ter que parar, pois não vai ter como passar por lugar nenhum. Todo ano é assim e as autoridades não estão nem aí”, disse o caminhoneiro José Adelson Lima.

O jeito é usar desvios por dentro das próprias fazendas para diminuir o trecho com buracos e lama. Quando voltam à rodovia, toda atenção é importante ainda mais à noite.

Em nota, o Governo do Estado informou que deve iniciar a recuperação da rodovia estadual ainda no mês de outubro.
Fonte: G1
brasildotrecho:

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Este site usa cookies.

ler