Liderança fala em um ano sem greve dos caminhoneiros

Uma nova greve dos caminhoneiros poderia ser evitada por um ano. 


É essa a proposta apresentada por um dos líderes dos transportadores, Wanderley Alves, o Dedeco.
Segundo ele, os novos acordos coletivos dos autônomos poderiam incluir o compromisso de um ano sem uma nova greve dos caminhoneiros. Os novos acordos deveriam ser negociados na próxima semana.
“Havendo acordo com embarcadores e transportadores de que cumprirão o piso mínimo, com certeza vamos assumir um ano sem falar em paralisação”, declarou Dedeco. Segundo o líder dos caminhoneiros, esses acordos devem estar previstos em documentos escritos.
Essa proposta é apoiada também por outro líder dos caminhoneiros, Wallace Landim, o Chorão. “Se sair acordo é porque segmentos assumem o compromisso de cumprir, isso deixa o fantasma da paralisação para trás”, declarou ele.




Os transportadores preveem um reajuste entre 15% e 19% sobre os custos da última tabela de fretes. A tabela foi revogada pelo governo na última segunda-feira (22) após a ameaça de uma nova greve dos caminhoneiros.

 A possibilidade de uma nova paralisação teria já mobilizado cerca de 2 mil transportadores nas redes sociais. Os profissionais estariam discutindo sobre a possibilidade de interromper suas atividades em cerca de 15 grupos no WhatsApp.
Alteração da tabela de fretes
O risco de uma nova greve dos caminhoneiros surgiu após a resolução da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que alterou tabela de preços mínimos dos fretes rodoviários. Os valores ficaram abaixo do esperado pela categoria, e muitos pediram uma nova paralisação, como aquela ocorrida em maio de 2018.

Por causa de uma nova greve, já na semana passada circulava a informação que o governo pretendia cancelar ou suspender a nova tabela de fretes. 

Entretanto, não todos os caminhoneiros concordariam em realizar uma nova greve. Parte da categoria seria refratária à ideia por causa das dificuldades financeiras que teriam caso decidissem parar de trabalhar. 

A nova tabela de fretes que poderia desencadear uma nova greve dos caminhoneiros foi elaborada pela Esalq-Log, entidade da Universidade de São Paulo (USP). A tabela de frete, criada pelo governo do ex-presidente Michel Temer, previa uma série de revisões periódicas. A próxima revisão oficial está prevista para o início de 2020.

Fonte: Suno Search

brasildotrecho:

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Este site usa cookies.

ler