Trio é preso após manter caminhoneiro em cárcere privado



Criminosos realizaram saques e transferências com os cartões da vítima, o que ajudou na identificação deles. Polícia Civil continua com as investigações para tentar localizar o caminhão e o restante do grupo.

Três pessoas, de idades não divulgadas, foram presas após manterem um caminhoneiro em cárcere privado por mais de 24 horas em Uberlândia. As prisões efetuadas pela Polícia Civil ocorreram nesta sexta-feira (10), cerca de três horas após a denúncia do crime, feita pela própria vítima. O advogado dos presos informou que os clientes negam envolvimento no crime.

Conforme informações do delegado Daniel Azevedo Batista, cerca de 20 policiais participaram da ação que terminou com a prisão de um homem e duas mulheres. Segundo ele, o caso começou na manhã de quinta-feira (9), quando o caminhoneiro foi abordado no Distrito Industrial de Uberlândia pelos criminosos que o atraíram com uma proposta de frete feita via aplicativo de mensagens. Após um dos envolvidos entrar no caminhão, eles percorreram cerca de dois quilômetros, quando, armado, ele anunciou o assalto.

“Ele foi mantido em cárcere privado por 24 horas e, assim que foi libertado, procurou a delegacia. Em menos de três horas os policiais conseguiram identificar os suspeitos e chegar ao veículo utilizado no crime”, explicou o delegado, ressaltando que movimentação bancária da vítima também auxiliou na identificação dos criminosos, já que foram feitos saques e transferências eletrônicas para a conta de uma das envolvidas no crime, totalizando R$ 4.500.

Na casa dos suspeitos, foi feita a prisão em flagrante do trio, que responderá pelos crimes de roubo, restrição à liberdade da vítima, extorsão mediante sequestro e associação criminosa.

O delegado revelou que um dos detidos tem envolvimento com a prática de explosão de caixas eletrônicos.

Além de memorizar a placa do veículo utilizado pelos criminosos, o caminhoneiro também notou que um deles tossia muito, o que foi constatado no momento da prisão e reforçou ainda mais a participação dele no crime.

Já o delegado Fernando Lançoni esclareceu que após o encerramento do auto de prisão em flagrante, o caso será encaminhado à Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos para que seja dado seguimento às investigações, localização do caminhão, (placas GXM-2057, de Monte Alegre de Minas) e identificação dos demais suspeitos de participarem do crime.


Fonte: G1 

Um comentário:

Deixe seu comentário...