Carros de Batalha – Iveco se Destaca

Os veículos Guarani, LMV e MUV 4x4

Os veículos Guarani, LMV e MUV 4x4 foram as atrações da Iveco Veículos de Defesa na LAAD Defence & Security 2019

A LAAD Defence & Security 2019, principal feira de Defesa e Segurança da América Latina, aconteceu de 2 a 5 de abril no Riocentro, principal local de convenções carioca. O evento reuniu mais de 450 expositores, entre empresas nacionais e de mais de 30 países, que atraíram um público estimado em 40 mil pessoas nos quatro dias do evento. Entre as empresas com instalações industriais no Brasil, um dos maiores estandes foi o da Iveco Veículos de Defesa. A unidade brasileira funciona na cidade mineira de Sete Lagoas, junto à fábrica de caminhões, ônibus e comerciais leves da marca italiana. Inaugurada em 2013, representou a criação de 350 empregos diretos e 1.400 indiretos, além da ativação de uma vasta cadeia de fornecedores nacionais. É a primeira montadora de veículos de defesa da Iveco fora da Europa e tem a World Class Manufacturing (WCM) – certificação internacional que atesta a excelência nos processos produtivos e na adoção das melhores práticas de trabalho. No estande da empresa, os destaques foram o já conhecido blindado Guarani e os novatos LMV e MUV 4x4. “A participação na LAAD é uma ótima oportunidade para divulgarmos novas tecnologias para um seleto grupo ligado ao segmento”, explica Humberto Spinetti, diretor da Iveco Veículos de Defesa para a América do Sul.

Desde 2013, quando a unidade industrial de veículos de defesa da Iveco foi inaugurada, a Viatura Blindada de Transporte de Pessoal (VBTP-MR) Guarani começou a substituir os obsoletos modelos Urutu e Cascavel, em operação há mais de 40 anos nas Forças Armadas. Para produzir cada blindado, são necessárias cerca de 3.200 horas de trabalho. Com capacidade para transportar até 11 pessoas, o Guarani pesa 18 toneladas, tem tração 6x6, pode chegar a 110 km/h e tem função anfíbia. Conta com o motor Cursor 9 Euro 5, da FPT Industrial, que na configuração “militar” foi modificado para entregar 380 cavalos. Segundo a fabricante, forte aceleração e respostas rápidas são características do motor Cursor 9, resultantes das altas pressões de injeção de diesel do sistema eletrônico, que favorecem a pulverização do combustível na câmara de combustão e possibilitam uma queima mais eficiente. Além de potente e forte, o motor tem uma vida útil de oito mil horas. O Guarani apresenta uma série de inovações tecnológicas, como sistema automático de detecção e extinção de incêndio e baixa assinatura térmica (o que dificulta sua localização pelos inimigos), entre outros. As 350 unidades já entregues ao Exército Brasileiro são usadas em missões de pacificação e em operações de combate ao crime organizado nas regiões fronteiriças do país. E um lote do Guarani produzido em Sete Lagoas foi exportado para o Líbano.

Já a viatura blindada leve multitarefas LMV (VBMT-LR) é um veículo tático para missões especiais com alto nível de proteção (balística e antiminas), agilidade em diversos tipos de terrenos e grande autonomia. Foi adotado por vários países que fazem parte da Otan, como Itália, Espanha, Bélgica, Áustria, Inglaterra e Noruega e esteve em campo em operações no Afeganistão, Líbano, Kosovo e Chade. De acordo com a Iveco, o LMV proporciona desempenho, confiabilidade e maior conforto em sua função mais valiosa: a de transportar sua tripulação com rapidez e segurança em qualquer tipo de missão. A geração atual do LMV, que será produzida em Sete Lagoas, conta com um novo motor de 220 cavalos de potência, da FPT Industrial, e recebeu uma transmissão aprimorada, capaz de gerenciar mais potência, e um novo sistema de filtragem de ar. A fim de proporcionar mobilidade máxima, a caixa de velocidades automática da versão brasileira foi atualizada e recebeu duas velocidades adicionais – agora são oito no total –, e facilita a transição entre as marchas ao dirigir fora-de-estrada. Um novo sistema de controle eletrônico de estabilidade (ESP), capaz de trabalhar em condições off-road, melhora a segurança de condução, bem como o conforto e a agilidade do motorista. Melhorias na mobilidade são conseguidas por meio de um sistema de suspensão especialmente projetado, combinado com pneus para diferentes terrenos. O design da célula da tripulação foi desenvolvido especialmente pela necessidade de acomodar cinco soldados totalmente equipados. O layout interno privilegia a ergonomia e incorpora um painel digitalizado de última geração. A proteção balística é reforçada pela adição de uma terceira dobradiça em cada porta e o uso de novos materiais. O LMV é adaptável para ser implantado como uma plataforma de rádio móvel, por seu perfil de compatibilidade eletromagnética. 


 
Único “não blindado” do estande, o MUV (Veículo Militar Utilitário) oferece uma carga útil máxima de quatro toneladas. As configurações de van e cabine, simples e dupla, são projetadas para acomodar 14 ocupantes, mais dois na cabine. O modelo pode ser equipado com uma escolha de motores FPT Industrial com tecnologia Euro 4, com 175 cavalos de potência, ou Euro 3, com 146 cavalos ou 175 cavalos de potência. Os motores são projetados para operar em ambientes exigentes, com temperaturas extremas que variam de -32°C a 49°C. Podem ser acoplados com uma caixa de 6 velocidades manual ou uma automática de 8 marchas com conversor de torque. A mobilidade é reforçada por um 4x4 permanente com bloqueio de diferencial dianteiro e traseiro, bem como com o sistema de suspensão dianteira independente com barra de torção. Controle de estabilidade e freios ABS visam aprimorar o desempenho do MUV. A Iveco assegura que o resultado é um veículo extremamente móvel e ágil, capaz de operar em uma ampla gama de terrenos e climas exigentes. O MUV também estará disponível para uso civil, pois cumpre integralmente as regulamentações ambientais e de segurança exigidas por meio de recursos como assentos ergonômicos, baixos níveis de ruído, cintos de segurança, sistema de airbag e motores a diesel Euro 6. Pode ser usado como um veículo de resgate, para socorro médico, para limpeza de neve ou como posto de comando da unidade de emergência.
Fonte: ABC do ABC

Nenhum comentário

Deixe seu comentário...