Tabela do frete elevou a inflação e prejudicou PIB de 2018, diz CNI

Tabela do frete elevou a inflação e prejudicou PIB de 2018, diz CNI

Tabela do frete elevou a inflação e prejudicou PIB de 2018, diz CNI

Um estudo feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou que a tabela do frete prejudicou a economia em 2018. Segundo o levantamento, publicado na manhã desta quarta-feira (6/2), a inflação aumentou 0,34 ponto percentual e o Produto Interno Bruto (PIB) foi reduzido em R$ 7 bilhões. A entidade foi uma das que mais criticou a aplicação do dispositivo.


A tabela foi implementada após a greve dos caminhoneiros, que ocorreu em maio e junho de 2018. O governo federal cedeu às pressões e estabeleceu preços mínimos para os fretes. Segundo a CNI, os valores têm sido fixados em patamares acima do que seriam praticados pelo mercado, o que dá peso adicional em toda a cadeia. 

“A expansão da economia brasileira foi diretamente impactada, em 2018, pela decisão do governo federal de criar a tabela do frete rodoviário”, comunicou a CNI. “O Produto Interno Bruto (PIB) foi reduzido em 0,11%, ou R$ 7,2 bilhões. A menor expansão da economia devido à política de preços mínimos prejudicou, ainda, a recuperação do mercado de trabalho. Ao todo, 203 mil postos de trabalho deixaram de ser criados”, completou. 

A entidade calculou que, sem a tabela, a inflação teria fechado em 3,41%, em vez dos 3,75% registrados. A CNI é autora de uma das três ações diretas de inconstitucionalidade (ADIs) que foram protocoladas no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a Lei 13.703/2018, que instituiu a tabela do frete.

Continua depois da publicidade

O processo ainda não tem data marcada para ser julgado. O caso está com relatoria do ministro Luiz Fux. Segundo a confederação, a legislação viola os princípios da livre-iniciativa, de livre concorrência e de defesa do consumidor.
Fonte: Correio Brasiliense 

Nenhum comentário

Deixe seu comentário...