Vendas mundiais do Grupo Volkswagen caem 10% em outubro

Vendas mundiais do Grupo Volkswagen caem 10% em outubro

Retração de mercado na Europa e na China afetam companhia no segundo semestre 

As vendas mundiais do Grupo Volkswagen em outubro registraram 846,3 mil unidades e importante queda de 10% ante o mesmo mês do ano passado. A Europa e a China, dois grandes mercados para a companhia, vêm sendo afetadas por diferentes motivos. No Velho Continente, o novo método de emissões e consumo WLTP fez as vendas do grupo recuarem 15,6%. O fato era previsto para o segundo semestre e em setembro já havia impactado as vendas locais.
Na China, a retração ante o mesmo mês do ano passado (8,3%) decorre de problemas comerciais com os Estados Unidos, que vêm derrubando as vendas de várias montadoras no país asiático. No acumulado até outubro, as entregas do Grupo Volkswagen somam 8,7 milhões de unidades e pequena alta de 2,6% sobre o mesmo período do ano passado. É provável que o acumulado até dezembro revele crescimento próximo ou inferior a 1% em relação a 2017, com 10,7 milhões de veículos. 
Na Europa, os países que formam o bloco ocidental (com vendas mais representativas) somaram até outubro pouco mais de 3 milhões de unidades e alta de apenas 1% sobre iguais meses de 2010. Na China, com 3,4 milhões no período, a alta sobre os mesmos dez meses de 2017 ainda é de 3,4%. Mas os resultados até o fim do ano podem se transformar em queda.
As vendas do Grupo Volkswagen na América do Norte somaram 793 mil veículos e ligeira queda de 0,9%. O desempenho da região é afetado pela retração mexicana. Os Estados Unidos, maior mercado da região, somaram 528,9 mil unidades e pequena alta de 3,9%. A América do Sul registrou 490,9 mil veículos do grupo e alta de 12,8%. No Brasil, as 326,4 mil unidades resultaram em alta de 29,5%.
DESEMPENHO POR MARCA
De janeiro a outubro os automóveis com a marca Volkswagen somaram 5,1 milhões de unidades, o que resulta em leve alta de 1,9% sobre igual período do ano passado. O motivo é a sua grande participação tanto na Europa como na China, dois mercados com desempenho ruim neste segundo semestre.
A Audi somou pouco mais de 1,5 milhão de unidades e anota ligeira queda de 0,9% na comparação interanual. A tcheca Skoda superou a marca de 1 milhão de unidades no acumulado até outubro e revela alta superior a 6%. A espanhola Seat cresceu mais, 13,6%, mas com volume total menor que o da Skoda, 449 mil unidades. 
A divisão VW Veículos Comerciais obteve total muito próximo na comparação interanual. Com 409,3 mil veículos, recuou 0,4%. Nas divisões de pesados, a MAN anotou importante crescimento de 21,5% com a venda de 110,6 mil caminhões.
Fonte: Automotive Business