Volks realizará reunião para discutir IPO da Traton em 2019

Volks realizará reunião para discutir IPO da Traton em 2019, dizem fontes

Volks realizará reunião para discutir IPO da Traton em 2019, dizem fontes

A Volkswagen realizou uma reunião para discutir planos de listar sua unidade de caminhões Traton, prevista para ser a maior da Alemanha em 2019, depois de contratar um quarteto de bancos para gerenciar a potencial oferta pública inicial (IPO) de 6 bilhões de euros, disseram pessoas a par do assunto.

Cerca de 80 banqueiros, advogados e representantes da Volkswagen e da Traton se reuniram na semana passada na primeira reunião para discutir estratégias de comercialização de ações da fabricante de caminhões das marcas MAN, Scania e VW para potenciais investidores, acrescentaram as fontes.
A principal montadora da Europa quer que a Traton esteja preparada até o final do ano para uma possível listagem no mercado de ações, que deverá ocorrer no segundo trimestre de 2019.

A VW planeja construir um negócio global de caminhões integrando suas divisões MAN e Scania para desafiar os rivais Daimler e Volvo.


O IPO também pode gerar caixa para a Volkswagen Truck & Bus para comprar a totalidade da Navistar, uma montadora de caminhões dos Estados Unidos na qual já possui uma participação de 16,85 por cento.

Como pré-condição para o acordo, a Volkswagen na quinta-feira fez mudanças na estrutura corporativa para que duas unidades menores não façam parte da empresa de caminhões e ônibus que será listada.

Enquanto o presidente-executivo da Traton, Andreas Renschler, disse que almeja uma receita de até 6 bilhões de euros com a venda de cerca de 25 por cento das ações da empresa, a Volkswagen pode ter que se contentar com um número menor, disseram pessoas familiarizadas com os preparativos do IPO.

JP Morgan, Goldman Sachs, Deutsche Bank e Citibank foram contratados como coordenadores globais da listagem, enquanto os escritórios de advocacia Freshfields e Linklaters, também estão ajudando a preparar o negócio, segundo as fontes.

A Volkswagen, os bancos e os advogados não comentaram ou não estavam imediatamente disponíveis para falar sobre o assunto.
Fonte: EXAME