Montadoras estão prontas para lançamento de grandes caminhões elétricos

Montadoras estão prontas para lançamento de grandes caminhões elétricos

Montadoras estão prontas para lançamento de grandes caminhões elétricos

O presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, colocou caminhões comerciais elétricos pesados ​no mapa em novembro de 2017, quando apresentou o futurista Semi, alimentado por bateria, recebeu centenas de pedidos e disse que iria começar a entregar os veículos até 2019.
Agora, parece que 2020 pode ser o grande ano para grandes caminhões elétricos. Os fabricantes de caminhões tradicionais estão acelerando seus projetos de caminhões elétricos para lançamento dentro de dois anos, enquanto Musk disse aos investidores em junho que a produção do atrativo caminhão Semi deve começar “basicamente no primeiro semestre de 2020” em vez de 2019.

Impulsionados pela pressão regulatória para reduzir a poluição do diesel, os fabricantes de caminhões comerciais fizeram vários anúncios de veículos movidos a bateria elétrica ou a hidrogênio. Eles receberam pedidos de grandes operadoras de frota, como Walmar, United Parcel Service e Anheuser Busch Inbev.

O desafio é medir qual será o tamanho do mercado de caminhões comerciais elétricos, especialmente fora da China.

A autonomia limitada da maioria dos caminhões comerciais a hidrogênio ou elétricos de primeira geração e a falta de infraestrutura de recarga ameaçam limitar as vendas a operações de curta distância.

Na China, os reguladores estão considerando um plano de longo prazo para substituir 1 milhão de caminhões a diesel por caminhões mais limpos, incluindo modelos elétricos, e alguns portos e cidades chinesas estão proibindo caminhões a diesel, o que pode aumentar significativamente as vendas.

Nos Estados Unidos, as perspectivas para a demanda de caminhões elétricos são mais nubladas. Alguns analistas estimam que, até meados da década de 2020, as vendas anuais de caminhões elétricos nos EUA podem ficar na casa das centenas. Nos últimos 12 meses, os pedidos de caminhões a diesel totalizaram 497 mil unidades.
Fonte: Reuters