Elétricos serão uma demanda de mercado

Elétricos serão uma demanda de mercado

Marca sueca se prepara para vender a partir de 2019, na Europa, o FL Electric, primeiro caminhão da Volvo movido apenas por baterias

Todas as fabricantes que atuam no mercado de caminhões já se preparam para um futuro mais sustentável. E embora a maior aposta, pelo menos a curto e médio prazo, seja em conjuntos híbridos no trem de força, algumas marcas investem em modelos com zero emissões para uma era mais “verde”. Para a Volvo, esse tempo chegará rápido. No ano que vem, mais precisamente, quando a sueca começará a vender o seu primeiro caminhão 100% elétrico. Trata-se de uma variante do semipesado FL, mas alimentado apenas por baterias. E que a Volvo cogita, inclusive, comercializar por aqui também em 2019.

O modelo foi planejado, principalmente, para a distribuição de mercadorias em distâncias curtas ou a utilização em serviços como a coleta de resíduos. Isso porque a autonomia com uma única recarga completa nas baterias chega a 300 km. Na verdade, o FL Electric atenderá demandas de carga de até 16 toneladas de peso bruto total combinado. Para tanto, ele armazena energia em conjunto de duas a seis baterias de íons de lítio. Para serem completamente recarregadas, é preciso esperar cerca de 10 horas em ciclo normal ou, no caso de uma carga rápida, entre uma e duas horas.

Pedido de cliente

O FL Electric se move com um motor elétrico capaz de entregar 176 cv de potência. O torque máximo é de 43,3 kgfm e constante. E o trem de força recebe uma transmissão de apenas duas velocidades. A ideia do modelo, no entanto, não partiu da Volvo. Ocorreu um pedido especial de um cliente, que fez com que a marca aproveitasse sua vasta experiência em veículos elétricos da Volvo Buses. Afinal, foram mais de 4.000 ônibus com zero emissões comercializados nos últimos oito anos.

Para estimular as vendas do modelo, a Volvo aposta na legislação cada vez mais rígida em relação às questões ambientais. E várias cidades da Europa estão restringindo a utilização de veículos que poluem mais. Além disso, há um outro ponto muito importante que favorece a utilização de caminhões elétricos em serviços públicos e até entregas de mercadorias: a ausência de barulho. Como o motor movido apenas com baterias é extremamente silencioso.

 
Sistema irá se renovar até 2030
A Volvo prevê um sistema de transportes renovado até 2030 a partir da automação, conectividade e motores elétricos. Para a marca sueca, os veículos autônomos serão gradativamente introduzidos nas aplicações mais específicas, em áreas confinadas e sem trânsito regular. Essas são operações de transporte muito repetitivas, em que a produtividade dos motoristas é constantemente desafiada pela rotina extenuante. A marca já tem unidades atuando em operações reais desse tipo, como em uma mineração subterrânea em Boliden, na Suécia, e na colheita de cana-de-açúcar em Maringá, no Paraná, no Sul do Brasil.

Para isso, os veículos recebem sensores e radares que detectam pedestres e outros obstáculos, analisam o exterior em um ângulo de 360° e que alertam o motorista a respeito de qualquer contratempo e são também capazes de frear. Em relação à conectividade, também já há alguns sistemas que permitem fazer a gestão de frotas.

 
Duas unidades já estão em testes na Suécia
O FL Electric foi apresentado oficialmente em abril deste ano. E mesmo antes de ser lançado, já pode ser visto por algumas pessoas na Europa. Isso porque a Volvo disponibilizou em junho duas unidades dele para atuar na cidade de Gotemburgo, na própria Suécia.

A marca sueca quer mesmo mostrar a versatilidade do modelo. Tanto que um dos exemplares serve a uma empresa de coleta de lixo e reciclagem, que está testando o caminhão elétrico. Já o outro, está atuando em uma transportadora da cidade. Desta forma, a Volvo poderá ter resultados interessantes para apresentar a futuros compradores nas duas principais áreas de atuação planejadas para o FL Electric.
Fonte: o Tempo