Preço do diesel subirá entre R$ 0,12 e R$ 0,17

Preço do diesel subirá entre R$ 0,12 e R$ 0,17

Preço do diesel subirá entre R$ 0,12 e R$ 0,17 

Devido à recente escalada do dólar, o preço do diesel vai aumentar nas refinarias no próximo sábado, dia 1º de setembro. A alta valerá também para os importadores que aderiram ao programa de subvenção feito pelo governo para encerrar a greve dos caminhoneiros, no primeiro semestre.

Gasolina da Petrobras se aproxima de recorde da era de reajustes diários

Petrobras já importa diesel para compensar parada da Replan, diz executivo

Saiba como a Petrobras define o preço da gasolina

O aumento ficaria entre entre R$ 0,12 a R$ 0,17 o litro, segundo estimativa feita por Adriano Pires Rodrigues, do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). O litro custa hoje R$ 0,2316 nas refinarias. Outro fator é a mudança de cálculo do preço de referência, anunciada nesta terça-feira pela Agência Nacional do Petróleo (ANP).

(O aumento) terá de ser repassado aos consumidores, não tem jeito - afirmou Pires.

Segundo Leonardo Gadotti, presidente da Plural, associação que reúne as distribuidoras, somente uma redução no câmbio evitaria reajuste maiores nos próximos meses.

- Se continuar a tendência da valorização do dólar, os preços vão aumentar e serão repassados aos consumidores - disse Gadotti.

Quanto à nova fórmula da ANP para efeito da concessão do subsídio, cujo cálculo será aplicado em 31 de agosto, esta levará em conta os custos de movimentação e armazenagem em quatro terminais portuários brasileiros e os custos para entrega do produto nas cinco regiões do país. O preço base do diesel será alterado todo dia 1º de cada mês, até dezembro. A partir de 1º de janeiro, o subsídio de R$ 0,30 será retirado.

Representantes do setor, no entanto, consideraram a fórmula insatisfatória. Segundo Sérgio Araujo, presidente da Associação Brasileira dos Importadores de Combustíveis (Abicom), ela inviabilizaria as importações: - A resolução da ANP considera alguns custos muito abaixo dos realmente praticados, como de armazenagem e fretes, o que inviabiliza as importações de diesel.

Os preços de venda do diesel nas refinarias e importadores estão congelados desde maio, por causa do acordo feito pelo governo para encerrar a greve dos caminhoneiros, que estabeleceu o subsídio de R$ 0,30 por litro, além do desconto de R$ 0,16 em impostos.

- O R$ 0,30 por litro de subvenção do governo não será suficiente, agora, para cobrir os preços de comercialização. Mas isso poderá mudar se a cotação do dólar cair ao longo do mês - afirmou Pires.

O diretor-geral da ANP, Décio Oddone, não quis comentar sobre uma possível alta dos preços do diesel a partir do próximo dia 1º. Mas ressaltou que os preços não estão congelados.

- Esse é o modelo da subvenção de R$ 0,30 via Tesouro e R$ 0,16 via impostos. Não houve um congelamento do preço do diesel, o mercado não foi revogado, o que houve foi uma subvenção temporária. O mercado continua funcionando - afirmou Oddone.

A nova fórmula para calcular o preço de referência leva em conta os custos de importação em quatro portos: os de Paranaguá, Santos, Itaqui e Suape. Considera ainda os custos de internação do produto nas regiões Norte, Nordeste e Tocantins, Sul, Centro-Oeste e Sudeste. E, por fim, os preços do frete para essas diferentes regiões.
Fonte: Globo