Empresa de ônibus quer anulação de busca e apreensão em investigação de fraude de R$ 11 bilhões

Empresa de ônibus quer anulação de busca e apreensão em investigação de fraude de R$ 11 bilhões

Viação Xavante diz que o endereço no mandado foi mudado e é incompatível com o local determinado na decisão judicial. Operação Rota Final investiga fraude em concessão de linhas de intermunicipais no Mato Grosso

A empresa de ônibus Viação Xavante Ltda quer que seja anulada a busca e apreensão realizada no âmbito da Operação Rota Final, da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública – Defaz, que investiga um suposto esquema de fraude em licitação e concessão de linhas intermunicipais de ônibus do Mato Grosso, na ordem de R$ 11 bilhões.

A operação foi deflagrada no dia 25 de abril, quando foram cumpridos mandados de busca e apreensão na sede da Agência Estadual de Serviços Públicos – Ager e envolveu endereços relacionados a empresas de ônibus como Viação Xavante e Verde Transportes.

De acordo com o portal “Olhar Direto”, de Mato Grosso, a Xavante alega que o endereço que consta no mandado de busca e apreensão não é o mesmo que está na decisão judicial. Houve mudança de endereço somente no mandado.

A companhia do ônibus quer a devolução dos materiais apreendidos e tornados sem efeitos a busca e apreensão assim como os atos decorrentes da análise destes materiais.

Ainda segundo o Olhar Direto, o pedido deve ainda ser analisado pelo desembargador Guiomar Teodoro Borges.

O MPE – Ministério Público do Estado sustenta que servidores públicos e empresários de ônibus da região planejavam fraudar a licitação de 13 lotes de linhas intermunicipais.

Empresas que não participariam da suposta organização criminosa, ainda de acordo com MPE, sofriam ameaças e retaliações.

As empresas e os agentes públicos citados na investigação negam os crimes e eventuais condutas irregulares.
Fonte: Diário do Transporte