ZF lança câmbio automático de 8 marchas

ZF lança câmbio automático de 8 marchas para veículos comerciais urbanos

A ZF está em fase final de testes na Alemanha de uma transmissão automática de 8 marchas para veículos comerciais urbanos, incluindo caminhões e ônibus leves, médios e semipesados. Batizada PowerLine, a caixa de câmbio é inspirada na 8HP, lançada no início desta década para uso em automóveis e picapes. A ZF informa que “em breve” a nova opção automática será introduzida no mercado global, incluindo o Brasil, com principal apelo de reduzir em até 10% o consumo de combustível. 

A nova caixa foi projetada para enfrentar tráfego diário intenso, quando as marchas precisam ser trocadas cerca de 30 vezes por quilômetro rodado. “A chegada das transmissões automáticas aos segmentos mais leves dos veículos comerciais é uma tendência de utilização global, que chegará com mais força ao Brasil e à América Latina com a ZF-PowerLine”, afirma Silvio Furtado, diretor de vendas da ZF América do Sul. 


Segundo a ZF, a nova transmissão automática pode ser aplicada em caminhões, picapes e ônibus urbanos e interurbanos com motorização de até 1.200 Nm de torque e peso bruto total combinado (PBTC, somando caminhão, carreta e a respectiva carga total) de até 26 toneladas. Da 8HP, a PowerLine traz o conceito de conversor de torque e planetárias, passando pela mecatrônica e eletrônica com software de controle. 

“No mercado sul-americano, as transmissões manuais ainda imperam no segmento que vai dos leves aos semipesados. No entanto, para aplicações essencialmente urbanas e consequentemente mais severas, em que o anda-e-para constante exige muito mais dos veículos e motoristas, o câmbio automático com conversor de torque é mais adequado e recomendado”, explica Furtado. 

No segmento dos pesados, a troca de marchas automatizada já está amplamente difundida, presente em mais de 80% dos caminhões vendidos, mas com uso de câmbio automatizado, pois a operação rodoviária não exige tanto do conjunto e neste caso a ligação entre motor e transmissão é feita por embreagem robotizada. Já a ZF-PowerLine usa conversor de torque, mais adequado ao anda-e-para do trânsito urbano, porque o componente que não sofre desgastes, tem funcionamento hidrodinâmico. “Comparada com os sistemas atuais, a economia de combustível de até 10%da ZF-PowerLine é substancial. Além disso, as trocas de marcha [do câmbio automático] são melhores e mais suaves do que qualquer transmissão automatizada disponível até hoje no segmento de tráfego urbano. O desgaste menor [dos componentes] também aumenta a robustez e amplia os intervalos de troca do óleo, o que reduz o custo operacional e o tempo de parada para manutenção. Para o frotista, veículo parado é sinônimo de prejuízo”, enumera Silvio Furtado. 

Outra vantagem da PowerLine, segundo a ZF, é o peso inferior ao dos produtos disponíveis no mercado. Sem óleo, a nova caixa pesa cerca de 150 kg, definindo assim novos padrões de relação potência-peso. 

Alinhada com as tendências do futuro, a ZF-PowerLine opera conectada à rede eletrônica do veículo, virá preparada para receber tomadas de força, freio automático de transmissão, trabalhar com motorização híbrida e funcionar com a função start-stop. Entre outros dispositivos da plataforma de telemática da ZF, a nova caixa pode se conectar ao Prevision GPS, que antecipa o terreno à frente e indica a melhor estratégia de mudança de marcha, diante de uma subida, por exemplo, com foco na economia de combustível.