A cabine como sala de ginástica

A cabine como sala de ginástica

A cabine como sala de ginástica

A rotina estressante do caminhoneiro não se limita somente aos prazos, à insegurança nas estradas, ao preço do diesel e à saudade de casa. Embora muitas vezes não se dê importância, trabalhar sentado por longos períodos traz consequências prejudiciais para a saúde. A postura provoca esforços mais do que desejados nos músculos e na coluna vertebral. Sem movimentos para compensar, com o tempo as dores nas costas serão companheiras indesejáveis, sem contar os riscos de problemas vasculares.
Complica ainda mais a alimentação nem sempre regrada e a falta de tempo para atividades físicas como medida de prevenção de doenças. Pesquisa recente encabeçada pela Arteris, uma das maiores concessionárias de rodovias do País, com mais de 3.500 caminhoneiros entrevistados apontou que 30% deles se encontram obesos, 35% apresentam colesterol alto, 37% a taxa de glicemia está anormal e mais da metade dorme na cabine.
Movimentar-se, portanto, é uma das soluções para mudar o cenário, uma realidade comum a todo motorista profissional, independentemente do país, normalmente sem tempo de visitar uma academia no fim do dia. Como instrumento para uma vida mais saudável, a time de desenvolvimento de Mercedes-Benz, na Alemanha, concebeu o TopFit Set, um conjunto de acessórios para o caminhoneiro poder fazer exercícios na privacidade da cabine.
O kit, composto de elásticos tubulares e um tabuleiro de madeira, permite treinamentos com o objetivo de fortalecer os músculos e compensar os esforços aos quais o corpo é submetido durante muitas horas sentado. Para fazer os exercícios corretamente, o motorista tem orientação no aplicativo do sistema de gerenciamento de frota da Mercedes-Benz FleetBoard, por meio de vídeos elaborados com o auxílio de fisioterapeutas.
A ideia não é nova, foi lançada em 2015 pela marca, mas já apresenta resultados na rotina de alguns motoristas e interesse de transportadoras alemãs que não querem contabilizar dias de caminhoneiros afastados por motivo de doença.
Há um ano, o alemão Heiko Gebhardt, de 40 anos, motorista da transportadora Spedition Fehrenkötter, decidiu que tinha de dar um basta na dor crônica que sentia nas costas, além de perder alguns quilos dos 115 kg que pesava. A solução da Mercedes-Benz deu um jeito no problema do profissional. O caminhoneiro associou exercícios regulares nos intervalos de trabalho a uma alimentação saudável e, hoje, pesa 80 kg e sem mais os incômodos nas costas.
O kit é um produto oferecido pela marca somente na Europa e desenvolvido especialmente para ser usado nas cabines de caminhões que possuem piso plano. Não é por isso, no entanto, que com um pouco de criatividade e força de vontade, o caminhoneiro não possa se beneficiar de exercícios regulares e das boas práticas para uma vida mais saudável.
A própria estrutura do caminhão pode servir de apoios para alongamentos e pontos de fixação de elásticos para fazer exercícios de fortalecimento dos músculos das costas, braços e pernas. Antes de começar, porém, é importante procurar orientação de um profissional para não prejudicar ainda mais com movimentos errados, além de fazer um checkup.
O auxílio está mais perto do que se imagina. É comum inciativas de empresas concessionárias de rodovias colocarem foco na saúde do caminhoneiro, como o programa Estrada para a Saúde, da CCR, o Saúde na Boléia, da Arteris, ou o Parada Legal, da Rota do Oeste.
Independentemente de exercícios físicos regulares, cabe seguir dicas simples e fáceis de serem aplicadas no dia a dia que garantem boa qualidade de vida e mais disposição para encarar o trecho como alongamentos, uma alimentação mais leve com menos fritura, prestar atenção na postura ao dirigir e não deixar de descansar, sabotar uma noite de sono para cumprir prazo coloca a segurança e a saúde em risco.



Fonte: Estadão