Protesto de caminhoneiros interdita mais de cem pontos em rodovias do país


O protesto de caminhoneiros contra o aumento dos combustíveis, em especial do diesel, que afetou diversas rodovias do país nesta segunda-feira, ainda causa transtornos em estradas importantes no início da noite, horário de em que registra movimento intenso. As operações de recepção e entrega de mercadorias nos terminais do Porto de Santos, o maior do país, também continuam comprometidas pelo protesto.

Na parte da manhã, a categoria realizou atos em dez estados do país. Além da redução do preço do diesel, os caminhoneiros pedem isenção de tributos como forma de baratear o preço dos fretes. A categoria já havia prometido a paralisação para a semana passada se uma série de reivindicações apresentadas ao governo Michel Temer (MDB) não fosse atendida. Até as 16h30, as manifestações de caminhoneiros já atingiam dezoito estados e causavam 107 pontos de interdição em rodovias federais de todo o Brasil. Paraná, Minas Gerais e Bahia são os estados mais atingidos.




A Rodovia Régis Bittencourt, que liga São Paulo à Região Sul do país, foi interditada no fim da tarde na altura do quilômetro 279, em Embu das Artes (Grande São Paulo) nos dois sentidos — São Paulo e Curitiba. Segundo informações da Arteris, concessionária responsável pela via, os manifestantes atearam fogos em pneus para impedir o tráfego, mas veículos de passeio conseguem passar por um desvio lateral na pista. Também há uma interdição total no quilômetro 477, em Jacupiranga (SP) no sentido Curitiba.
Em Santos, o protesto no porto ocorre desde a manhã.  “O acesso de veículos rodoviários de carga às instalações do Porto de Santos ficou comprometido pela ação dos manifestantes. O fluxo de acesso já apresentava, desde as primeiras horas da manhã, significativa redução em virtude do anunciado movimento”, afirmou em nota os responsáveis pelo terminal portuário.

Segundo a administração do porto, as manifestações dos caminhoneiros concentram-se no acesso de entrada às instalações do complexo portuário, na região da Alemoa. Apesar de impactar as operações portuárias, os protestos não causaram incidentes. A administração do Porto de Santos afirmou ainda que operações de carga e descarga de navios ocorrem normalmente, apesar de protesto de caminhoneiros, com alguns terminais contando com estoques.

Castello Branco e Anhanguera
O tráfego no Sistema Anhanguera-Bandeirantes já está normalizado após engarrafamento em suas pistas expressas, devido à manifestação dos caminhoneiros nesta segunda-feira, 21. O congestionamento ocorreu do quilômetro 38 ao 39, no sentido interior, e do quilômetro 40 ao 39, no sentido capital, próximo às regiões de Cajamar, Jundiaí e Osasco. 

A Rodovia Castello Branco, por sua vez, tem tráfego interrompido em sua pista expressa devido aos protestos dos caminhoneiros. Às 16h43, o bloqueio no sentido da capital paulista causava engarrafamento do quilômetro 14 ao 13, em Osasco.
Fonte: VEJA