Greve de caminhoneiros força Petrobras a reduzir preço do diesel


A Petrobras anunciou nesta quarta-feira uma redução de 10% no preço do diesel e que congelará o valor pelos próximos 15 dias, no terceiro dia da greve dos caminhoneiros, que já causa desabastecimento em vários Estados.

A empresa resistia a flexibilizar sua política de alinhamento dos preços à cotação internacional do petróleo, o que provocou uma disparada no valor dos combustíveis nas últimas semanas.

O governo acenou com a eliminação da Cide, um dos impostos sobre o diesel e a gasolina, mas a medida não foi suficiente para acabar com a paralisação.


O presidente da Petrobras, Pedro Parente, declarou nesta quarta-feira em entrevista coletiva que a redução do preço do diesel é uma medida "de caráter excepcional", para facilitar as negociações entre o governo e representantes dos caminhoneiros.

Este redução "não significa uma mudança na política de preços da Petrobras", afirmou Parente, se antecipando à reação dos mercados.

Os caminhoneiros, que previamente rejeitaram a "trégua" de três dias proposta pelo presidente Michel Temer, não responderam - até o momento - se vão suspender o movimento diante da proposta da Petrobras.

Os bloqueios de estradas realizados pelo caminhoneiros já deixaram sem combustível o Aeroporto Internacional de Brasília e afetaram as atividades em frigoríficos e centros de distribuição de alimentos.
Fonte: EM