Com safra recorde de grãos, agricultores baianos recuperaram 214 quilômetros de estradas em 2018


Diante da safra recorde de grãos prevista para o oeste da Bahia, a logística de escoamento da produção é um dos principais entraves para os agricultores do oeste da Bahia. Para minimizar a falta de investimentos na conservação permanente das estradas vicinais, os produtores rurais, por meio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), vêm fazendo a sua parte. Eles recuperaram, entre janeiro e abril deste ano, um total de 214 km de estradas com melhorias e cascalhamento dos seguintes trechos: 106 km na Linha dos Pivôs, em São Desidério; 60 km da BA-430 que liga a sede e a zona rural de Baianópolis; 43 km entre a sede e a localidade de Rio de Pedras, em Barreiras; e 5 km da Rodovia da Soja, também em Barreiras. Desde o início do projeto, em 2013, já foram recuperadas em cinco anos mais de 1000 km de estradas, com um investimento aproximado de R$ 30 milhões.

Por meio de recursos do Prodeagro, Fundeagro e Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), os agricultores viabilizaram o programa Patrulha Mecanizada, coordenado pela Abapa, que hoje mantém uma estrutura fixa com trabalho permanente ao longo do ano com cerca de 31 colaboradores e equipamentos e veículos como motoniveladoras, escavadeiras, rolos compactadores, tratores, caminhões, para executar os trabalhos na conservação das estradas. “Por meio do programa, que também conta com o apoio das prefeituras, nosso objetivo é obter novas parcerias para começar a pavimentar trechos importantes, a exemplo dos 33 km da Rodovia da Soja, em São Desidério, recuperado o ano passado pelo Patrulha Mecanizada. O programa é uma referência em todo o Brasil e contribui, também, para melhorar o acesso de quem mora na zona rural e depende destas estradas para se deslocarem”, explica o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato.



Além do trabalho executado diretamente na conservação das estradas, os produtores continuam mobilizados para a garantia de recursos para a pavimentação de trechos de rodovias federais inacabadas. “Com a perspectiva de crescimento da safra agrícola para os próximos anos, o governos precisam acompanhar o desenvolvimento, e estamos cobrando para que possam ser concluídos, por exemplo, trechos da BR-135, ligando os municípios de São Desidério a Correntina e a viabilização do traçado da BR 020, entre Santa Rita de Cássia – Mansidão – Campo Alegre de Lourdes”, afirma Busato. A conclusão da Ferrovia Oeste Leste (Fiol) e do Porto Sul; a ampliação da capacidade do Porto de Aratu, em Salvador, a fim de facilitar a exportação de commodities agrícolas; e a construção de subestações de energia para atender o oeste, também são demandas de logística que vem sendo pleiteadas pelos agricultores baianos para o maior desenvolvimento socioeconômico da região agrícola.