Caminhoneiros dizem que esperam publicação de medidas para desocupar estradas


Após o pronunciamento do presidente Michel Temer (MDB) anunciando novas medidas que beneficiam os caminhoneiros, representantes dos protestos disseram que aguardam a publicação das medidas provisórias anunciadas no Diário Oficial da União desta segunda (28) para dar início à desmobilização.


"Temos orientação de que, lido o Diário Oficial de amanhã, e se isso estiver contemplado, como a gente acredita que estará, possa dar a oportunidade então de que o movimento possa reerguer", disse Carlos Alberto Dahmer, presidente do Sindicato dos Transportadores Autônomos de Ijuí (RS).

"O que queríamos está contemplado."

Caminhoneiros grevistas
Minha Folha
Bloqueio na Régis Bittencourt. Na pista, caminhoneiros escreveram  Motorista com doações em Três Corações (MG)
 Caminhoneiros fazem churrasco com carne de porco doada por moradores de Extrema (MG) Ricardo Pitsch, 23 anos, caminhoneiro assalariado de Santa Catarina que aderiu à greve na terça-feira, continua parado junto a um grupo de motoristas na altura do km 180 da via Dutra sentido Rio de Janeiro Marco Chist, 48 anos, tem seu próprio caminhão para transportar flores de Holambra para o Espírito Santo e se queixa da alta no preço do combustível Valdivino Fonseca, caminhoneiro de Santa Catarina que completou 65 anos nesta semana acompanhado de outros caminhoneiros grevistas na Dutra
Bloqueio na Régis Bittencourt. Na pista, caminhoneiros escreveram "Queremos Intervenção Militar" Marlene Bergamo/Folhapress

De acordo com os representantes, a expectativa é de que leve de 8 a 10 dias para normalização do abastecimento.

Os representantes foram questionados sobre as investigações que estão sendo feitas pelo governo para apurar eventual prática de locaute, espécie de greve praticada por empresas, o que é proibido.

José da Fonseca Lopes, presidente da Abcam (Associação Brasileira dos Caminhoneiros), negou que tenha sido multado pelo governo, mas admitiu que está sendo investigado por suspeita de locaute. Segundo ele, outras lideranças das manifestações também são alvo de apurações. "Eu não levei multa, a maioria levou."

Ele argumenta que nunca trabalhou para empresas e que sua pauta na paralisação sempre foi reduzir o preço do diesel por meio da diminuição de impostos.
Fonte: Folha