Mesmo com quadrilha presa, criminosos do 'falso frete' continuam agindo


Mesmo com a crença da polícia de que havia prendido e desarticulado a quadrilha do falso frete, a criminalidade continua aplicando o golpe. Dessa vez um trabalhador teve seu caminhão roubado e ficou mais de 7 horas refens de criminosos. 

Fretista de 41 anos caiu na armadilha do falso frete, foi feito refém por mais de 7 horas, amarrado e ameaçado de morte durante roubo do caminhão Ford F-350G que utilizava para trabalhado. O caso aconteceu por volta das 14 de ontem, terça-feira (10), na Rua Conceição Maria Biazoto, no Residencial Oliveira, em Campo Grande.


Conforme o boletim de ocorrência, a vítima disse que por volta das 9h30 foi acionado por um homem identificado como Jhone para fazer um frete do Bairro Oliveira ao Distrito de Indubrasil.

Por volta das 14h, a vítima foi sozinha até o endereço combinado e quando chegou ao local foi recepcionada por uma mulher com tatuagem no pescoço. Na sequência, se aproximaram três homens, sendo dois deles armados, dizendo: 'perdeu'.

Os bandidos, então, tiraram foto do fretista e o ameaçaram de morte. Um deles assumiu a direção e foi embora junto com a mulher levando o veículo. O motorista, lembra que ficou no local sob poder de mais três homens, teve a cabeça coberta por capuz, foi colada dentro de uma veículo e levada para um matagal no Jardim Noroeste, região leste.

Já na mata e questão, a vítima foi amarrada com uma corda fina. Antes de sair do local, por volta de 21h20, a quadrilha deixou um isqueiro e um cigarro com o fretista depois de perguntar o que ele queria antes de morrer. O motorista usou o isqueiro para queimar a corda e se soltar.

Ele ficou uns 50 minutos perdido na mata até que encontrou moradores e pediu ajuda. A polícia foi acionada. A corda e o isqueiro foram apreendidos na delegacia. Os suspeitos não foram localizados nem o veículo localizado.
Fonte: MS Noticias