Expectativa de produção de 11 milhões de toneladas de soja em Goiás em 2018 estimula criação de empregos


Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg) estima que a produção de soja em Goiás na safra de 2018 seja de 11 milhões de toneladas. Números da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) apontam que a estimativa é cerca de 300 mil toneladas maior que a safra anterior. Empresas do setor contratam temporários e, segundo economista, resultado gera movimentação financeira positiva para todas as áreas.

Juarez Bellei, gerente de uma empresa produtora de soja em Rio Verde, no sudoeste de Goiás, relatou à TV Anhanguera que alta na produção gerou contratação de 100 temporários nos três primeiros meses do ano e que 12 deles foram efetivados.


“A agricultura vem trazendo esse bom momento e a empresa acompanha. Isso se reflete em boas oportunidades de trabalho para os moradores da cidade e da região”, detalhou.
Um dos empregados que conseguiu manter o posto após o período de experiência foi o auxiliar de produção Guilherme Macedo. “Graças a produção grande que temos aqui a empresa precisa muito de funcionários. Fui agraciado com a contratação aqui”, afirmou.

Ainda conforme dados da Faeg, a saca de 60 quilos do grão está saindo cerca de R$ 70. A Federação avalia que o preço é 35% maior que o valor do produto no mesmo período de 2017. Essa alta já era prevista por especialistas, como o consultor em agronegócios Anderson Galvão. Segundo ele, o preço subiu devido à movimentação do mercado internacional.

“Houve uma seca na Argentina recentemente, que acabou beneficiando o produtor brasileiro, que está vendendo os grãos a preços melhores. A taxa de câmbio também se sustentou em preços que beneficiam o agricultor”, avaliou.

O especialista disse ainda que as principais produções de grãos em Goiás, que são de soja e milho, têm sido boas por causa do clima favorável e de investimentos do produtor.
Segundo o economista Maurício Faganelo o dinheiro movimentado pelo agronegócio também beneficia outros setores. Mesmo que de forma indireta, ele explica que se o trabalhar tem dinheiro para gastar, movimenta a economia.

“Gera dinheiro para toda uma serie de pessoas. Se tem mais dinheiro rodando, acaba irrigando e todo mundo tem mais dinheiro, que tem que ficar aqui”, afirmou.

Gerente de uma loja de sapatos em Rio Verde, Marcelino Guedes dos Santos é uma dessas pessoas que tem expectativas positivas quanto ao aumento nas vendas por causa da produção de soja.

“A expectativa no crescimento do agronegócio esse ano está dando uma expectativa para nós de 2,5% de crescimento para o comércio em geral”, disse.
Fonte: G1