À espera da recuperação do setor

À espera da recuperação do setor
A Mercedes-Benz do Brasil vai investir R$ 2,4 bilhões no país no período de cinco anos, entre 2018 e 2022. Esse valor será destinado à continuidade da modernização das fábricas de caminhões e chassis de ônibus de São Bernardo do Campo (SP) e Juiz de Fora, na Zona da Mata.


“Atualmente, está sendo aplicado um investimento de R$ 730 milhões até 2018 com foco na modernização das duas fábricas, sendo R$ 500 milhões em São Bernardo e R$ 230 milhões na planta de Juiz de Fora. Antes de concluir esse ciclo atual, a Mercedes-Benz se antecipa e já anuncia esse novo aporte, como forma de acompanhar as tendências do transporte e as solicitações dos clientes nos próximos anos”, explica Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO da empresa na América Latina.
Adicionalmente, mais R$ 70 milhões estão sendo investidos na construção do campo de provas de caminhões e ônibus na cidade de Iracemápolis (SP), que será inaugurado no 1º semestre de 2018 e será o maior e mais completo do Hemisfério Sul.
“Com esses novos investimentos, a empresa se prepara para a esperada recuperação do mercado brasileiro, que, apesar de ainda lenta e dos baixos volumes de vendas, tem forte potencial futuro para os negócios de veículos comerciais. Acreditamos também na evolução do mercado externo, que tem realizado renovação e ampliação de frota com produtos Mercedes-Benz fabricados no Brasil”, conclui Schiemer. 

 

Marca tem avanço de 26% nas exportações

Com 9.343 caminhões emplacados de janeiro a setembro, a Mercedes-Benz liderou as vendas de caminhões no país neste ano, atingindo uma participação de 28,4% no mercado. No segmento de ônibus, a marca também ficou à frente nas vendas, com 4.290 unidades comercializadas e uma participação acima de 50%.
Nas exportações, o desempenho da marca alemã no acumulado de janeiro a setembro avançou em 26% sobre o mesmo período do ano passado, com 11.157 caminhões e ônibus exportados.
Foram enviados 6.428 caminhões, com crescimento de 43% em relação a 2016, e 4.729 chassis de ônibus, 8,5% a mais em comparação com o ano passado.
Fonte:O tempo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.